Morato e Benfica negoceiam: renovação de contrato e aumento salarial a caminho

Morato e Benfica negoceiam: renovação de contrato e aumento salarial a caminho
Vítor Rodrigues

Tópicos

Ainda com contrato salarial ao nível de jogador da equipa B, a afirmação do defesa de 20 anos justifica, para os dirigentes da Luz, um aumento, que será acompanhado por uma extensão do vínculo.

O processo negocial em torno da renovação do contrato de Morato decorre há várias semanas e as partes envolvidas, jogador, empresário e SAD, ainda não chegaram a um entendimento definitivo. Porém, e segundo O JOGO apurou, para além do simples aumento salarial, em cima da mesa está também a extensão do vínculo por mais uma ou duas épocas, sendo este último o desejado na Luz, permitindo segurar o central de 20 anos até junho de 2026.

O camisola 91 foi promovido ao plantel principal depois de quase duas épocas a alinhar pelos bês (entrou no elevador no final da temporada passada), pelo que mantém um contrato com um salário ao nível da formação secundária, em contraste com a verba - 7,5 M€ por 85% do passe - paga em 2019 ao São Paulo.

Além disso, o central foi aposta consistente de Jorge Jesus no arranque de época, como opção para a defesa a três, mantendo-se nas contas de Nélson Veríssimo, apesar de beneficiar da lesão grave sofrida por Lucas Veríssimo e da infeção por covid-19 que afeta Vertonghen, sendo preferido, por exemplo, em relação a Ferro, que deverá deixar o plantel até final do mês por empréstimo.

O rendimento de Morato justifica, para a SAD, o prémio salarial, mas as crescentes abordagens de clubes, sobretudo ingleses e espanhóis, mas também italianos, sobre o jogador "aconselham" o presidente Rui Costa a somar mais anos de ligação ao contrato atual. Dos dois lados existe a convicção que o acordo será firmado em breve.

Compra de mais 15% em equação

Para contratar Morato, o Benfica teve de investir 7,5 milhões de euros em 2019, montante que incluiu os custos com a intermediação. Porém, as águias compraram apenas 85 por cento do passe do central, ficando os restantes 15 na posse do São Paulo, clube que o vendeu. Esta percentagem não estará coberta por nenhuma opção fixa em relação a verbas de compra, pelo que dependerá sempre a sua aquisição de um acordo com o emblema paulista.

Ainda não terão existido negociações formais, mas a SAD benfiquista está a equacionar dar esse passo para ter Morato por inteiro.