John Textor: "Se não for o Benfica, estou empenhado em investir em Portugal"

John Textor: "Se não for o Benfica, estou empenhado em investir em Portugal"

John Textor afirma que quer investir em Portugal - mesmo que não seja no Benfica - e que só quer fechar negócio com a SAD encarnada se o "'board' não estiver completamente alinhado" com a visão do empresário.

O empresário John Textor quer investir no Benfica, mas se não o conseguir fazer, pretende manter-se em Portugal. Numa entrevista à Bloomberg, o norte-americano explicou que espera que as negociações com as águias cheguem a bom-porto.

"Tem sido um longo namoro para ver se poderá resultar e espero que sim. Mas não quero entrar no capital do clube se o 'board' [dirigentes da SAD/direção] não estiver completamente alinhado com a nossa visão para fortalecer o Benfica", afiançou aquela agência.

Se não houver um acordo para o investimento na SAD dos encarnados, John Textor continuará "empenhado" em negociar em Portugal. "Se não for o Benfica, estou empenhado em investir em Portugal", referiu o empresário que está lá ligado ao Botafogo, no Brasil, ao Crystal Palace, em Inglaterra, e ao RWD Molenbeek, da Bélgica.

Recorde...

John Textor e José António dos Santos estão a renegociar o acordo estabelecido há quase um ano para a compra de 25 por cento do capital social da SAD encarnada.

Em comunicado enviado esta quinta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a sociedade benfiquista esclarece ter recebido da parte de José António dos Santos, conhecido como o "Rei dos Frangos" devido à sua participação no Grupo Valouro, a informação sobre as "negociações que ainda decorrem" entre o empresário português e o investidor norte-americano no sentido de reformular o acordo previamente estabelecido, fixando agora o valor a adquirir por parte de John Textor em 16 por cento do capital social, isto também na sequência da "resolução amigável" do contrato estabelecido por José António dos Santos com a Quinta dos Jugais, para a compra de 2% dos títulos da SAD, e do facto de o acordo estabelecido com José Guilherme, detentor de 3,73% da SAD, ter caducado.

A SAD benfiquista revela que as duas partes "aceitaram um princípio de acordo (ainda não formalizado) no sentido de colocarem termo a um dos contratos", que representa um total de 2.070.000 ações ordinárias da SAD encarnada, relativas a 9 por cento da sociedade benfiquista.

De seguida, o regulador do mercado é ainda informado que "John C. Textor mantém interesse na conclusão do negócio que respeita à transmissão de um total de 3.680.000 ações ordinárias, escriturais e nominativas, representativas de 16% do capital social da Benfica SAD", razão pela qual o empresário norte-americano e José António dos Santos mantêm "negociações em vista a alcançarem um acordo nesse sentido".