John Textor revela como conheceu José António dos Santos e explica interesse no Benfica

John Textor revela como conheceu José António dos Santos e explica interesse no Benfica

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Empresário norte-americano emitiu comunicado sobre a alegada intenção de adquirir 25 por cento da SAD do Benfica.

John Textor, empresário norte-americano que, nos últimos dias, passou de desconhecido a um dos nomes no "olho do furacão" da operação Cartão Vermelho, emitiu um comunicado em que explica como conheceu José António dos Santos, um dos detidos na investigação e a origem do interesse em adquirir uma percentagem da SAD do Benfica,

"À luz das notícias que todos ficámos a conhecer nos últimos dias, desejo partilhar convosco algumas das minhas crenças e desejo também esclarecer para vosso benefício os meus interesses em envolver-me com o vosso querido clube", começa por referir Textor, numa missiva publicada no seu site oficial.

"Estou especificamente interessado nos clubes de futebol que têm a oportunidade de proporcionar benefícios diretos e tangíveis às pessoas nas suas comunidades imediatamente mais próximas e às que estão ao seu alcance global. Sinto-me atraído pelo Benfica porque é verdadeiramente o Clube do Povo... e será sempre o Clube do Povo. Ao contrário de qualquer empresa ou clube a que tive o prazer de estar associado, foi formado, está estruturado e é dirigido principalmente para o benefício da sua comunidade. Se alguma vez fosse convidado pelas pessoas do Benfica para apoiar a missão do Benfica, não teria de criar essa ligação com a comunidade. Tem sido o caminho do Benfica desde muito antes da minha chegada. Só espero poder ajudar a reforçar o Benfica em benefício das suas pessoas", assinala John Textor, que especifica as circunstâncias em que conheceu o "rei dos frangos", garantindo ainda que nunca foi contactado por outra pessoa ligada ao clube da Luz.

"Para ser claro, (...) ainda não adquiri ações no Benfica. Gostei das minhas conversas e correspondência com o dedicado fã do Benfica, sr. José António dos Santos. Acredito que ama verdadeiramente o clube e acredito que vê em mim uma pessoa que tem o coração certo e a experiência certa para fazer avançar a missão da comunidade do Benfica. Nunca procurei, negociei ou cheguei a um acordo para comprar ações SLBEN a qualquer outra parte, a não ser ao sr. Santos, nem adquiri quaisquer ações SLBEN (direta ou indiretamente) nos mercados abertos. O sr. Santos foi-me apresentado não pela liderança da Benfica, mas sim por uma instituição bancária de investimento sediada em Londres, com quem discuto regularmente oportunidades de investimento, nomeadamente na indústria do desporto", detalha o empresário americano, que admite estar a ponderar sobre a intenção de entrar na SAD encarnada, à luz dos recentes acontecimentos.

"Embora estivesse ansioso por conhecer a equipa de gestão do Benfica nas próximas semanas, estou agora a avaliar se pretendo, ou não, consumar uma compra de ações do SLBEN. Era minha grande esperança ser recebido como um parceiro positivo e contribuinte para a comunidade do Benfica e estou obviamente a ter de avaliar a significativa mudança de circunstâncias à medida que avalio esta oportunidade. Mais uma vez, tal como vós, reservo-me o direito de fazer os meus próprios juízos e as minhas próprias decisões à medida que aprofundo o conhecimento", remata John Textor.

De recordar que, esta segunda-feira, a CMVM emitiu um comunicado em que colocou em ponto de mira as participações de José António dos Santos na Benfica SAD, suspeitando que algumas transações "não foram comunicadas ao mercado". "Existem fortes indícios de que José António dos Santos celebrou um acordo de compra e venda com um terceiro, John Textor, tendo por objeto a alienação de uma participação de 25% que José António dos Santos reuniria. Nenhuma das referidas transações foi objeto de comunicação ao mercado", pode ler-se na nota da CMVM.

Leia o comunicado de John Textor na íntegra:

"Às pessoas e à comunidade do Sport Lisboa e Benfica:

À luz das notícias que todos ficámos a conhecer nos últimos dias, desejo partilhar convosco algumas das minhas crenças e desejo também esclarecer para vosso benefício os meus interesses em envolver-me com o vosso querido Clube.

- Sou um amante do jogo de futebol, e acredito que provou ser o maior unificador de pessoas e culturas que alguma vez vimos no mundo do desporto...e a sua influência global está apenas a crescer.

- Acredito que os clubes e comunidades de futebol estão inextricavelmente ligados e que a propriedade dos clubes de futebol deve estar nas mãos do público.

- Estou especificamente interessado nos clubes de futebol que têm a oportunidade de proporcionar benefícios directos e tangíveis às pessoas nas suas comunidades imediatamente próximas e às que estão ao seu alcance global.

- Sinto-me atraído pelo Sport Lisboa e Benfica porque é verdadeiramente o Clube do Povo... e será sempre o Clube do Povo. Ao contrário de qualquer empresa ou clube a que tive o prazer de estar associado, foi formado, está estruturado, e é dirigido principalmente para o benefício da sua comunidade. Se alguma vez fosse convidado pelo povo do Benfica para apoiar a missão do SL Benfica, não teria de criar essa ligação com a comunidade... tem sido o caminho do Benfica desde muito antes da minha chegada... só espero poder ajudar a reforçar o SL Benfica em benefício do seu povo.

- Creio que o SL Benfica é o gigante adormecido do futebol mundial, o maior criador de talentos nas suas academias, com uma oportunidade inigualável de estender a sua missão e a sua marca a audiências globais em rápido crescimento.

- Acredito que o SL Benfica tomou a sábia decisão de se tornar um clube público, uma extensão lógica da sua bem-sucedida forma de governação pelo povo do Benfica, embora eu acredite que a escala limitada e a liquidez dos mercados de capitais de Portugal não permitiram ao SL Benfica maximizar o seu potencial como uma preocupação global.

- Acredito que uma maior coordenação entre os mercados de Portugal e as bolsas de valores globais nos Estados Unidos e noutros locais proporcionaria ao SL Benfica um acesso eficiente a grandes grupos de pessoas e capital que serviriam melhor a missão do Benfica.

- Acredito que a história e os ensinamentos do SL Benfica, transmitidos através da expansão internacional da academia e dos meios de comunicação social, seriam bem-vindos e valorizados em todo o mundo, trazendo novas oportunidades de receitas de lugares longínquos que trariam retornos ao povo do Benfica em Portugal.

- Acredito ser uma das pessoas que pode trazer ideias à comunidade do Benfica que podem ajudar a melhorar a capitalização e as receitas do Clube, para um propósito que é correcto para os adeptos... o objectivo de manter muitos mais dos melhores jogadores do SL Benfica a jogar pelo SL Benfica. É evidente que a emoção de jogar na Liga dos Campeões, para os Benfiquistas, tornou-se menos emoção, e mais expectativa. Não deveria ser agora o objectivo de ganhar?

Para ser claro, estas são apenas as minhas crenças. Ainda não são planos. Ainda não adquiri acções no SL Benfica. Gostei das minhas conversas e correspondência com o dedicado fã do SL Benfica, o Sr. José António dos Santos. Acredito que ele ama verdadeiramente o Clube e acredito que ele vê, em mim, uma pessoa que tem o coração certo e a experiência certa para fazer avançar a missão da comunidade do Benfica.

Nunca procurei, negociei ou cheguei a um acordo para comprar acções SLBEN a qualquer outra parte, a não ser ao Sr. dos Santos, nem adquiri quaisquer acções SLBEN (directa ou indirectamente) nos mercados abertos. O Sr. dos Santos foi-me apresentado, não pela liderança da SL Benfica, mas sim por uma instituição bancária de investimento sediada em Londres com quem discuto regularmente oportunidades de investimento, nomeadamente na indústria do desporto.

Tal como vós, estou a digerir muito rapidamente as notícias inesperadas que estão a ter impacto no SL Benfica. Embora estivesse ansioso por conhecer a equipa de gestão do SL Benfica nas próximas semanas, estou agora a avaliar se pretendo ou não consumar uma compra de acções do SLBEN. Era minha grande esperança ser recebido como um parceiro positivo e contribuinte para a comunidade do Benfica e estou obviamente a ter de avaliar a notável mudança de circunstâncias à medida que avalio esta oportunidade. Mais uma vez, tal como vós, reservo-me o direito de fazer os meus próprios juízos e as minhas próprias decisões à medida que aprendo mais.

Entretanto, desejo-vos o melhor dos resultados e alegria pessoal durante a próxima época, pois sinto-me confiante que o Sport Lisboa e Benfica continuará a ser tão forte no próximo ano como tem sido nos últimos 117 anos."