Vieira quer evitar repetição de Salvio e já abordou Rafa

Vieira quer evitar repetição de Salvio e já abordou Rafa
Vítor Rodrigues

Tópicos

Luís Filipe Vieira quer evitar ter de se confrontar com o mesmo problema que vive com Salvio, mas também pretende premiar o arranque de época que o internacional português está a protagonizar

Os responsáveis encarnados continuam a arrumar a casa no que a renovações diz respeito e, sabe O JOGO, Rafa é um dos dossiês que estão já a ser tratados, tendo Luís Filipe Vieira abordado o jogador e o seu representante, António Araújo, no sentido de acertar um novo e mais longo contrato com o extremo português, cujo atual vínculo expira em junho de 2021.

Depois de outros elementos do plantel terem acertado novos contratos, casos de Jardel, Yuri Ribeiro, Rúben Dias, Pizzi, Gedson, Cervi, João Félix e Jonas, também Rafa está na calha para ver a sua ligação prolongada e melhorada, sendo intenção do presidente dos encarnados acrescentar mais dois anos ao vínculo atual, com um correspondente acréscimo em termos salariais que sirva também de prémio pelo crescente peso que o ex-Braga está a ter, nomeadamente na época atual - seis golos e uma assistência em 16 jogos -, na manobra da equipa. O próprio jogador estará à espera de que este aumento seja considerável e demonstre a aposta e confiança que em si é depositada.

O aumento da cláusula de rescisão, situada atualmente nos 60 milhões de euros, é outro dos objetivos inerentes a uma renovação que visa sobretudo manter o Benfica a salvo de outros imponderáveis, não apenas pela maior margem negocial permitida como igualmente pelas consequências resultantes da aproximação do final de contrato. E, neste âmbito, os encarnados não esquecem o avultado investimento - 16,8 milhões de euros - na contratação do jogador de 25 anos, naquela que ainda é a mais cara transferência entre clubes nacionais. O exemplo de Salvio, que fica livre no final da época e cujo processo de renovação não conheceu ainda desenvolvimentos consideráveis, é mais um argumento que aponta para a necessidade de avançar atempadamente para a prorrogação.