Premium Pressão a Vieira por Rui Vitória

Pressão a Vieira por Rui Vitória
Sérgio André / Vítor Rodrigues

Tópicos

Além dos adeptos , a contestação e o desejo de ver o técnico sair já existem também a nível interno no próprio clube

O empate com o Ajax, que ditou o quarto jogo consecutivo do Benfica sem ganhar, reforçou a contestação dos adeptos a Rui Vitória, "despedido" com lenços brancos frente a Moreirense e Ajax. Porém, também a nível interno, na própria estrutura encarnada, há quem defenda que Rui Vitória já não reúne condições para continuar a ser o técnico das águias, fruto dos resultados e exibições abaixo das expectativas, pressionando por isso, segundo apurou O JOGO, o presidente Luís Filipe Vieira para que este termine de forma antecipada, e rapidamente, a ligação com o treinador, com contrato até 2020.

Depois de falhado o pentacampeonato, Vieira definiu a conquista do título nacional como o grande objetivo, mas apontou também a uma presença nos oitavos de final da Liga dos Campeões, este último em sério risco. E perante o reforço do plantel, o líder da Luz entende que existe qualidade para mais, razão pela qual ele próprio não está satisfeito com o momento vivido pelo clube. Por isso, e apesar de manter por enquanto Rui Vitória, vai já preparando soluções caso se decida por uma alteração técnica, encarando Jorge Jesus como uma forte possibilidade. De acordo com informações recolhidas pelo nosso jornal, Luís Filipe Vieira já discutiu com o atual técnico do Al-Hilal, no qual ingressou após deixar o Sporting, a possibilidade de este regressar a Portugal e ao Benfica - na última semana, o presidente benfiquista admitiu a possibilidade de Jesus reassumir o comando técnico das águias, em entrevista à TVI, na qual classificava, contudo, Rui Vitória como "o homem certo para o clube" -, para ocupar o lugar do treinador escolhido precisamente por Vieira para lhe suceder. O presidente do Benfica sabe que avançar para Jesus nesta altura será uma operação dispendiosa, fruto das obrigações a nível fiscal em relação ao elevado ordenado, de sete milhões de euros limpos, que o técnico ganha no Al-Hilal - algo que mudará a partir de janeiro -, mas vai ponderando já o futuro. No entanto, e apesar das conversas existentes, não existe consenso em relação ao treinador de 64 anos. Há quem considere que o perfil deveria ser diferente e ainda esta semana Domingos Soares Oliveira, CEO da SAD encarnada, presente na Web Summit, salientou a importância do plano tecnológico nas competências de um técnico: "Fica difícil para quem não lide com esse fator."

Ciente da sua posição delicada, fruto do período negro que a equipa atravessa, Rui Vitória sabe que não pode perder pontos em Tondela, no domingo, para a Liga, e até admite abandonar a Luz, não estando disposto, porém, a abrir mão da indemnização pela saída, atendendo ao facto de ter contrato por mais um ano e sete meses.