Lema é para comprar, mas torcem o nariz ao preço estipulado

Lema é para comprar, mas torcem o nariz ao preço estipulado
Marco Gonçalves

Tópicos

Emprestado pelo Benfica no mercado de inverno, para adquirir o jogador de 28 anos, o segundo classificado da liga local tem de pagar 2,6 milhões de euros às águias, verba que considera elevada.

O Peñarol quer garantir a contratação de Lema a título definitivo. Cedido por empréstimo até ao final da temporada, o emblema uruguaio terá de exercer a opção de compra pelo central argentino, mas ao que O JOGO apurou, o Peñarol não está disposto a pagar os três milhões de dólares (cerca de 2,6 milhões de euros) fixados no contrato de cedência.

Nesse sentido, no início de abril, o atual segundo classificado da liga uruguaia vai enviar dirigentes a Lisboa, com o intuito de negociar com o presidente Luís Filipe Vieira. O objetivo é baixar os valores inicialmente acordados, condição essencial para manter o jogador nos quadros da equipa. Até ao momento, Lema já cumpriu sete desafios com a camisola do Peñarol, tendo apontado um golo, desempenho que tem agradado aos responsáveis do clube que viram em Lema uma oportunidade para preencher lacunas no eixo defensivo.

Contratado pelo Benfica ao Belgrano, com o qual estava em final de contrato, Lema chegou à Luz com o rótulo de central goleador, fruto dos oito golos assinados em 2017/18. O jogo aéreo era tido como um dos pontos fortes do jogador de 28 anos, que acabou por ter um papel secundário de águia ao peito. Já sem Luisão, que deu por terminada a carreira com a época em curso, Lema cotou-se apenas como quarta escolha de Rui Vitória, atrás do capitão Jardel, Rúben Dias e Conti, outro dos reforços para o centro do sector mais recuado. O camisola 2, que está a recuperar de lesão, só participou em dez desafios, números superiores aos do compatriota. Pelo vice-campeão nacional, Lema só jogou duas partidas. Entrou ao intervalo do AEK-Benfica e foi titular no Benfica-FC Porto, embate em que foi expulso.