Rui Pinto sem perdão: Benfica continua a exigir castigo e que revele "compradores"

Rui Pinto sem perdão: Benfica continua a exigir castigo e que revele "compradores"
Pedro Miguel Azevedo

Tópicos

Em comunicado, as águias voltam a colocar Sporting e FC Porto na mira das suspeições, lembrando, por exemplo, os emails tornados públicos no Porto Canal por Francisco J. Marques. O Benfica continua a exigir castigo para o hacker e que este revele a quem vendeu a correspondência

Ao que O JOGO apurou, o Benfica não pretende perdoar a Rui Pinto, o alegado responsável pelo roubo dos emails das águias, que é presente a tribunal esta sexta-feira em Budapeste, mesmo que este revele perante as autoridades os supostos "compradores", esperando apenas que a justiça funcione e que o tribunal defina a pena a aplicar. A SAD encarnada continua a apontar aos rivais Sporting e FC Porto como suspeitos maiores neste caso.

Em mais um comunicado, no sítio oficial, o Benfica defende que este foi um "cibercrime altamente sofisticado, implicando tanto tempo e recursos", e que, por isso, o mesmo "nunca seria feito de forma graciosa". "Foi dado mais um passo no sentido da descoberta da verdade e será importante perceber as motivações e quem esteve por detrás disso. O tempo é da justiça", lê-se na nota do clube.

Os encarnados entendem que se está "perante uma rede criminosa altamente organizada e profissional". "Ao longo destes meses assistimos a um trabalho minucioso de divulgação de emails. Mais recentemente, outras entidades e instituições foram também vítimas de violação e divulgação da sua correspondência privada, eliminando em definitivo a tese de que o roubo dos emails poderia ter origem interna no nosso clube", alega-se. Da acusação encarnada ficam mais suspeições: "Depois da célebre reunião do Altis, entre os diretores de comunicação do FC Porto e do Sporting, o fruto do roubo viria a ser exibido no Porto Canal pelo diretor de comunicação do FC Porto. Nessa mesma altura, amigos de infância e universidade do hacker ontem detido passaram a ser figuras em destaque no Porto Canal." As águias relembram que além de Francisco J. Marques, "toda a administração do FC Porto, com o seu presidente à cabeça, foi também constituída arguida".

O Benfica realça ainda que após a conferência de Imprensa da Polícia Judiciária "ficou claro que estava em causa a falsificação de documentos", o que dá força à alegação inicial das águias de haver "emails truncados, falsificados e descontextualizados".