Benfica reage a castigo por críticas à arbitragem e volta a visar Francisco J. Marques

Benfica reage a castigo por críticas à arbitragem e volta a visar Francisco J. Marques

Encarnados reagiram à multa aplicada pelo Conselho de Disciplina e voltaram a visar Francisco J. Marques

O Benfica reagiu, através da News Benfica, à multa aplicada pelo Conselho de Disciplina (CD) na sequência das críticas feitas pelos encarnados a 14 de janeiro, através de um texto publicado no site do clube. No texto em causa, o Benfica considerou o balanço primeira volta da I Liga estava "marcado por um conjunto de erros de arbitragem de uma dimensão que há muitos anos não se via".

Ainda que sem referir o nome do FC Porto, o texto visa os azuis e brancos, acusados de usufruirem, na altura, de uma "uma liderança muito alicerçada em erros sucessivos em momentos decisivos de jogos, a que não será alheio todo o clima de pressão, ameaças e coação dirigidos a diferentes agentes desportivos".

Em resposta, o CD aplicou uma multa de 22 950 euros aos encarnados, que responderam à mesma através da newsletter. "Foi com estupefação que o Benfica recebeu a notícia da multa, aplicada pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de críticas feitas à arbitragem. As observações que fizemos nessa altura (14 de janeiro) estiveram em linha com aquilo que a maioria dos jornais, televisões e rádios também acabaram por defender relativamente ao que se passou, na arbitragem, na 1.ª volta deste campeonato", começou por dizer o Benfica.

"Isso mesmo foi reconhecido por praticamente todos os analistas do futebol português - especializados ou não - e até, imagine-se, pelo Conselho de Arbitragem (CA), que no balanço ao primeiro terço da prova acabou por assumir "9 erros graves" relacionados com o desempenho de árbitros e respetivos vídeo-árbitros. Faz sentido perguntar, já agora, se o CD também pondera a hipótese de ainda vir a multar o CA? Por fim, lamenta-se o silêncio que este mesmo organismo mantém relativamente ao clima de ameaças e coação instalado no futebol português e com autores cada vez melhor identificados", escreveram os encarnados.

Na mesma newsletter, o Benfica visou também Francisco J. Marques. "Ficou agora a saber-se que o porta-voz do roubo dos e-mails mentiu em tribunal ao invocar o estatuto de jornalista e praticou assim mais um crime, agora de usurpação de funções, tendo levado a própria Comissão da Carteira Profissional de Jornalistas a tomar uma posição pública. Quando se pensa que não é possível descer mais, existe sempre quem consiga surpreender", termina.