Benfica aplaude "exemplar condenação" do FC Porto no caso dos e-mails

Benfica aplaude "exemplar condenação" do FC Porto no caso dos e-mails

SAD da Luz destaca o "expresso reconhecimento por parte do Tribunal que não vale tudo e que a privacidade das pessoas e das instituições bem como a proteção da concorrência e do segredo de negócio são bens dignos de tutela jurídica em Portugal".

O Benfica reagiu, em comunicado à decisão do tribunal de primeira instância no caso dos e-mails, conhecida esta sexta-feira. O Tribunal do Juízo Central Cível do Porto condenou parcialmente a SAD do FC Porto e Francisco J. Marques, diretor de comunicação portista, a pagar cerca de dois milhões de euros ao Benfica, que exigia um valor a rondar os 17 milhões de euros. A SAD da Luz aplaude a "exemplar reprovação judicial da conduta ilícita" dos rivais.

Eis a nota oficial do Benfica, na íntegra:

"Exemplar condenação da conduta ilícita do FCP

O Sport Lisboa e Benfica e a Benfica SAD (em conjunto "SL Benfica") confirmam ter sido notificados hoje da sentença proferida pelo Juízo Central Cível do Porto que condenou energicamente o Futebol Clube do Porto, o Futebol Clube do Porto SAD, Francisco J. Marques e Outros, sentença essa que irá analisar detalhadamente nos próximos dias. A par da decisão de condenação, a sentença judicial decidiu ainda absolver integralmente o SL Benfica do pedido reconvencional deduzido pelo Futebol Clube do Porto.
Numa primeira apreciação, mais até que os quantitativos indemnizatórios - que em si são significativos - há aspetos que impressionam e que merecem expressa referência:

Desde logo, a confirmação da absoluta razão que assiste ao nosso Clube e que bem andou o SL Benfica quando desde a primeira hora manifestou total confiança na justiça e nos nossos Tribunais.

Por outro lado, a exemplar reprovação judicial da conduta ilícita levada a cabo pelo Futebol Clube do Porto e alguns dos seus colaboradores.

Finalmente o expresso reconhecimento por parte do Tribunal que não vale tudo e que a privacidade das pessoas e das instituições bem como a proteção da concorrência e do segredo de negócio são bens dignos de tutela jurídica em Portugal.

O Sport Lisboa e Benfica irá agora de forma profissional extrair as devidas consequências da decisão condenatória de hoje, esperando que as restantes entidades adotem idêntico procedimento.

Lisboa, 7 de junho de 2019"