Negócio André Horta: os valores, os elogios e até encarado como um caso raro

Negócio André Horta: os valores, os elogios e até encarado como um caso raro

Jovem médio vai alinhar no Los Angeles FC, cujo técnico já o prevê como um "jogador de topo".

Há muito a ser tratada, a transferência de André Horta para a liga norte-americana (MLS) foi ontem confirmada pelo próprio médio, pouco depois do Suíça-Portugal (sub-21), encontro em que o jogador cedido ao Braga, até marcou um golo. "I am Black & Gold" (em alusão às cores do Los Angeles FC): foi assim que André Horta anunciou nas redes sociais que vai passar a jogar no emblema onde já alinha o lateral-esquerdo português João Moutinho.

A saída do internacional sub-21, que cumpriu apenas uma temporada de águia ao peito, vai render 5,7 milhões de euros aos encarnados, sendo que André Horta deverá auferir um salário de 810 mil euros por ano. Atualmente emprestado ao Braga, clube onde vai permanecer até maio, conforme garantiu o presidente António Salvador, o médio de 21 anos só será inscrito a partir de 10 de julho, data em que reabre a janela de transferências nos Estados Unidos. "É um atleta tecnicamente dotado, com grande versatilidade. É jovem, dinâmico e acreditamos que irá tornar-se num jogador de topo", disse Bob Bradley, futuro técnico do atleta, que já estava "identificado há algum tempo", como admitiu o diretor-geral do Los Angeles, John Thorrington. "É raro, se não sem precedentes, um jogador com a sua idade, pedigree e outras opções, vir para a MLS. Sabemos que vai encher de orgulho a nossa cidade e os nossos adeptos", acrescentou.

Recrutado ao Vitória de Setúbal em 2016/17, André Horta foi titular indiscutível na fase inicial da época que terminou com a conquista do tetracampeonato. Utilizado em dois jogos da Liga dos Campeões, contra Besiktas e Nápoles, Horta alinhou 16 vezes pelo clube da Luz, no qual foi formado.