Alerta bancário levou Polícia Judicária ao Benfica, explica JN

Alerta bancário levou Polícia Judicária ao Benfica, explica JN

Foram os movimentos de quase 1,9 milhões de euros, com origem na Benfica SAD e na Benfica Estádio SA, para uma empresa de informática, e o posterior levantamento do mesmo montante em numerário, que levou à investigação

A explicação vem na edição impressa desta quinta-feira do Jornal de Notícias: "O que levou à constituição de seis arguidos e às buscas ao Benfica, na terça-feira, por indícios de crimes fiscais, foi denunciado às autoridades através de um alerta bancário". Segundo o diário generalista, a obrigação das entidades bancárias em comunicar operações financeiras que aparentem ser suspeitas - assim dita a lei do combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo - está na origem de todo o caso que levou a PJ a investigar o Benfica.

Mais em pormenor, foram os movimentos de quase 1,9 milhões de euros, com origem na Benfica SAD e na Benfica Estádio SA, para uma empresa de informática, e o posterior levantamento do mesmo montante em numerário, que levou à investigação que na terça-feira, uma operação que na qual, confirmado pela Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), foram constituídos seis arguidos (três pessoas singulares e três pessoas coletivas) no âmbito da investigação de crimes de branqueamento de capitais e fraude fiscal.