Disparo de Cervi trabalhado por Rui Vitória

Disparo de Cervi trabalhado por Rui Vitória
Marco Gonçalves/Federico del Rio (Argentina)

Tópicos

Extremo tem vindo a afinar no Seixal a capacidade para rematar à baliza em livres, ele que era até agora especialista a oferecer.

Herói do Benfica ao fazer os dois primeiros golos na deslocação a Portimão, o segundo deles na marcação de um livre, Cervi tem vindo a desenvolver esta especialidade no Caixa Futebol Campus, sob orientação de Rui Vitória.

Contratado no início da temporada passada ao Rosário Central, o atacante de 23 anos já tinha a marcação das bolas paradas como ponto forte na Argentina, mas "limitava-se" a cobrar as faltas e pontapés de canto com cruzamentos para a área, procurando oferecer o golo aos colegas - a eficácia na cobrança dos cantos também já se verificou com a camisola encarnada, como sucedeu, por exemplo, na recente receção da jornada 21.ª ao Rio Ave, na qual colocou a bola à mercê do golo de Jardel. No conjunto do País das Pampas, o extremo via, segundo apurou O JOGO, Walter Montoya e Giovani Lo Celso serem os principais responsáveis pela marcação dos livres diretos.

Com o ingresso na Luz na época passada, Cervi continuava sem "autorização" para bater estas bolas paradas, pois tem estado tapado por jogadores como Jonas ou até Grimaldo. No entanto, face ao trabalho específico que tem vindo a realizar no Seixal (e aproveitando também o facto de Jonas não poder marcar a falta, pois o avançado já tinha saído de campo devido a lesão), o camisola 22 foi chamado a bater o livre, a 28,5 metros de distância da baliza de Ricardo Ferreira, atirando forte e colocado, sem hipóteses para o guardião dos algarvios, tendo a bola batido ainda no poste.

"As bolas paradas fazem parte do jogo. Parabéns ao Cervi, que executou muito bem. Ele treina muito este tipo de lances, algo que me agrada ver, e acabou por merecer este prémio", considerou no final da partida Rui Vitória, ele que já tinha afinado também as capacidades de Lindelof, central sueco que surpreendeu na época passada ao bater o livre que valeu ao Benfica o empate (1-1) em Alvalade, diante do Sporting.