"Há no mundo oito, nove treinadores que criam. Os outros andam só a copiar"

"Há no mundo oito, nove treinadores que criam. Os outros andam só a copiar"
Marco Gonçalves

Tópicos

Jorge Jesus esteve esta terça-feira na conferência sobre "A gestão humanizada do futebol", que decorre até quarta-feira no Estádio da Luz.

A faculdade do futebol: "Para além de saber de futebol temos de conhecer o que é o futebol. O futebol não é só táticas e estratégia, tem muito a ver com arte e criatividade. Um jogador não se fabrica, nasce, cria-se. O treinador é a mesma coisa. O treinador vai evoluindo ao longo dos anos, mas com a criatividade dele. É isso que ele faz. O treinador não se forma na faculdade. Durante 40 anos de treinador e jogador... Essa é a minha faculdade."

O peso do talento: "Se o jogador não tiver talento, esquece. Mas, quem faz o golo é a equipa. Tirando exceções. Há jogadores que não precisam de equipa: Pelé, Messi, Ronaldo, Maradona... Os outros precisam da equipa para serem os goleadores."

A pressão: "Não entendo muito quando ouço desportistas a dizer que sentem muita pressão. Sem prazer e paixão, quem manda é a pressão. Falemos de Ronaldo. Ele tem prazer em jogar, para ele não há pressão, por isso vai jogar com 40 anos se Deus lhe der saúde. Para ele primeiro há prazer, não há pressão, quem não tem prazer e paixão, acaba por ver a pressão vingar."

Ambição e copiar: "Quem é o treinador que não tem ambição? Todos têm ambição. Mas, e traduzir isso no trabalho? Aqui está a diferença entre os treinadores. O que faz a diferença é a tua criatividade. Há livros sobre como fazer treinos, mas não diz como operacionalizar as tuas ideias. Posso dizer que no mundo há seis, sete, oito, nove treinadores que são criadores. Os outros andam a copiar."