Gonçalo Ramos: o contrato com o Benfica, o Marquês e a forma de festejar os golos

Gonçalo Ramos: o contrato com o Benfica, o Marquês e a forma de festejar os golos

Gonçalo Ramos, jovem avançado das águias, deu uma entrevista à Benfica Play onde falou um pouco sobre o passado e o futuro no Benfica.

Dia da renovação de contrato: "Foi um dia especial, porque renovei com o Benfica, mas também porque estive com a minha família e celebrei com eles. À parte disso, foi um dia normal: vim treinar, estive com os meus colegas, mas depois despachei-me rápido para estar com a família. Sempre que vêm cá, tento aproveitar ao máximo. Depois fomos tratar da assinatura do contrato e foi um dia fantástico."

Um local especial: "O Marquês de Pombal. É onde, se tudo correr bem, vamos estar a festejar o título. Mas faço também uma referência ao mercado de Olhão, onde passei a minha infância."

A mudança para avançado e o festejo: "No primeiro jogo que fiz na Youth League - contra o Bayern, há duas épocas -, o mister Renato Paiva lançou-me a ponta de lança. Não tínhamos nenhum disponível e ele adaptou-me. Fiz golo e a partir daí foi aproveitando a minha vertente de matador. O treinador da Seleção, Filipe Ramos, também come começou a meter a ponta de lança e no Benfica ia alternando: ponta de lança, médio. Fiz alguns golos sempre e o meu pai começou a dizer que eu tinha de arranjar uma forma de festejar com que eu me identificasse. Depois, numa conversa antes de um jogo, fizemos as pistolas e os meus colegas disseram: 'Se fizeres golo hoje, fazes as pistolas'. Eu disse que ia fazer e ia ficar assim. Marquei, festejei assim e, desde aí, ficou."

Futuro: "Ainda falta muita coisa, estou só no início, estou a começar a minha carreira. Espero ganhar muitos títulos individuais e coletivos aqui no Benfica."