"Futuro reserva-nos uma centralização feita à medida do FC Porto"

"Futuro reserva-nos uma centralização feita à medida do FC Porto"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Antigo dirigente e candidato à presidência fala de uma "impreparação gritante" do líder.

Candidato derrotado por Luís Filipe Vieira nas eleições de 2020, Rui Gomes da Silva fez esta segunda-feira um ataque cerrado a Rui Costa, eleito a outubro de 2021. O também antigo vice-presidente de Vieira fala de uma "gritante impreparação para o lugar" da parte de Rui Costa, frisando que, apesar de "brilhante e inspirador dentro das quatro linhas", este é, "fora delas uma personagem vulgar e desinspiradora".

Num texto publicado no blogue Nova Geração Benfica, intitulado "Benfica: desorientado, sem rumo e sem foco", Rui Gomes da Silva prevê um futuro negro para as águias, fruto de uma "centralização de direitos televisivos feita à medida do FC Porto e em que o Benfica, principal fonte de receitas desse contrato, nada oporá a que lhe retirem valor", adivinhando ainda, sobre "o novo projeto de betão": "Novas escutas e quiçá novos detidos daqui a uns anos."

Rui Gomes da Silva realça que os "escândalos diários só deixarão de afetar o Benfica quando se esgotarem essas responsabilidades e desaparecerem, de vez, esses responsáveis", reforçando o ataque a Rui Costa: "Pouco interessa quem faz comunicados bonitos a invocar benfiquismo ou faz cara de zangado para os jornais, quando cá fora representa os mesmos interesses abutres, e, pasme-se, partilha a mesma rede de amizades e visitas de casa que dominava Vieira."

Prometendo "lutar contra tudo isto enquanto tiver forças", o antigo dirigente, que fala de Rui Costa como um presidente "sem futuro", atira: "Ou se inverte este caminho urgentemente ou inexoravelmente caminharemos para novas eleições num prazo infelizmente bem mais curto do que os sócios imaginam."