Ferro tem várias opções em cima da mesa e revelam proposta recusada pelo central

Ferro tem várias opções em cima da mesa e revelam proposta recusada pelo central
Marco Gonçalves

Tópicos

Treinador do Osijek, Nenad Bjelica, revela recusa do camisola 97 das águias, referindo que o atleta tem ainda possibilidades de Portugal, Itália e Países Baixos para prosseguir a carreira.

Fora das principais contas de Nélson Veríssimo, Ferro procura uma solução para o futuro e o Hajduk Split, da Croácia, é mais um dos interessados na contratação do central, pretendido pelo Khimki, da Rússia, e até agora pelo Osijek, também da Croácia, que terá sido recusado pelo próprio atleta.

O Hajduk juntou-se à corrida e pretende, segundo revelou a Imprensa croata, o futebolista de 24 anos por empréstimo, sabendo que o Osijek, como revelou o seu treinador, Nenad Bjelica, está riscado por Ferro.

"Ele virou-se para outras opções", esclareceu na quinta-feira o técnico do emblema que ocupa o terceiro lugar da liga croata, esclarecendo que o defesa tem várias opções em carteira além do Hajduk - clube pelo qual assinou Krovinovic, no início da época. "Ele tem ofertas dos Países Baixos, de Portugal e de Itália. E o Hajduk também se envolveu na corrida", esclareceu, em declarações ao jornal "Glas Slavonije". Garantindo que "vai procurar outras soluções", Bjelica atira: "Há males que vêm por bem. Talvez consigamos uma solução ainda melhor."

Entre os menos utilizados até ao momento no Benfica na presente temporada, Ferro, que soma apenas 135 minutos, viu o seu espaço ainda mais reduzido com a mudança de sistema introduzida por Nélson Veríssimo, que trocou o 3x4x3 de Jesus, com três centrais, pelo 4x4x2. Com Otamendi, Vertonghen e Morato como principais opções e Tomás Araújo na rampa de lançamento, Ferro é um dos nomes na porta de saída neste mês, tendo em vista a tão desejada redução do plantel por Veríssimo.

Cabe agora a Ferro tomar uma posição face às ofertas em cima da mesa, sendo que o Khimki propõe, além da cedência, a inclusão de uma opção de compra do passe do atleta no valor de seis milhões de euros.