"Ferro? Deu para perceber que era um miúdo com maturidade acima da média"

"Ferro? Deu para perceber que era um miúdo com maturidade acima da média"

O treinador Pedro Henriques trabalhou com o jovem central no Casa Pia.

Foram apenas cerca de quatro meses, mas já em 2014/15, período em que esteve cedido ao Casa Pia, Ferro deixou boas indicações para o futuro. Estreante absoluto pela equipa principal no último dérbi com o Sporting - entrou para o lugar do lesionado Jardel - o jovem central deu conta do recado e assim deverá continuar no domingo, diante do Nacional.

"Acredito que quem consegue revelar este à vontade substituindo o capitão de equipa num jogo tão quente e sempre tão difícil como o dérbi ou um clássico, fica com confiança para mais e tentar continuar a perpetuar este momento. O mais difícil neste nível é manter e ser consistente. Esse é o desafio, mas acredito que conseguirá manter a serenidade porque desde novo sempre mostrou isso", diz Pedro Henriques ao nosso jornal.

Para o treinador que acompanhou Ferro no Casa Pia, logo no primeiro ano de júnior, o central mostrou um "nível muito interessante". "Deu para perceber que estávamos na presença de um miúdo com maturidade muito acima da média, com grande foco em ser profissional. Como atributos, destaco o que se viu no dérbi, a qualidade de construção quer no jogo curto ou longo. Inclusivamente, tentávamos alternar o jogo curto e longo na construção e nessa perspetiva, o Francisco tinha capacidade fora do normal em conseguir colocar variação longa cruzada, com muita tensão no passe e capacidade de colocação de bola a longa distância. No dérbi conseguiu saltar etapas na construção, até com uma ligação interior para o Pizzi na primeira parte de pé esquerdo e sob pressão", analisa Pedro Henriques.

Para o treinador, Ferro beneficiará de jogar ao lado de Rúben Dias, parceiro com o qual fez inúmeros desafios na equipa B encarnada e camadas jovens: "O facto de se conhecerem tem uma influência tremenda".