"Felizmente ainda há o Youtube, que nos dá ideia do Chalana"

"Felizmente ainda há o Youtube, que nos dá ideia do Chalana"

O corpo de Chalana, que faleceu esta quarta-feira, está em câmara-ardente, na Basílica da Estrela


O corpo de Chalana, que faleceu esta quarta-feira, está em câmara-ardente , na Basílica da Estrela, em Lisboa, local por onde têm passado diversas personalidades do desporto, especialmente do Benfica.

Toni, que chegou mesmo a ser treinador de Chalana no Benfica, foi um dos que quis prestar uma última homenagem ao Pequeno Genial. "É dizer adeus. O Pequeno Genial partiu mas estará sempre nos nossos corações. Mais nos dos benfiquistas, mas é transversal. Vestiu a camisola da Seleção Nacional e escreveu páginas de ouro. O futebol, quando ele terminou, ficou mais pobre. A magia e fantasia que levava para os campos acabou. Felizmente ainda há o Youtube, que nos dá ideia do Chalana", disse.

"Enquanto homem era tímido, introvertido e amigo do seu amigo. É de perpetuar a sua memória, mas Benfica irá fazê-lo. Depois de Eusébio, Chalana está no patamar a seguir. A magia e fantasia estiveram sempre ligados com Chalana. A bola nos pés dele seria Beethoven ou Mozart. Ela saía com alegria dos pés do Chalana. O futebol era alegria nos pés de Chalana", acrescentou.

"O mais importante nesta altura é que o Chalana descanse em paz. Que Deus o receba nos seus braços. Ter essa passagem pelo Estádio da Luz será um tributo de todos para o Chalana, esse último adeus que o adepto tem oportunidade de fazer a um jogador genial. O Benfica era tudo para o Chalana", disse ainda antes de recordar um episódio.

"O Chalana estreou-se a 7 de março de 1976. Saí ao intervalo com o Farense e ele entrou. Fez dois jogos e no ano seguinte foi ele o grande suporte para que chegássemos ao título. Ao aperceber-me da magia e fantasia que existia no Chalana dizia a meus companheiros: 'passem a bola ao miúdo'. Resolvia situações complicadas", contou Toni.