Exclusivo Excesso de defesas-centrais em avaliação no Benfica: janeiro pode trazer ajustes

Excesso de defesas-centrais em avaliação no Benfica: janeiro pode trazer ajustes

Plantel tem seis centrais disponíveis para dois "poleiros". Janeiro pode forçar a ajustes para travar desvalorização e descontentamento. Otamendi e António Silva são as preferências atuais de Roger Schmidt mas os regressos de Lucas Veríssimo, Morato e João Victor em pleno causam dilema. E ainda há John Brooks nessa equação.

O resto da temporada de 2022/23 trará vários desafios a Roger Schmidt, tal como a manutenção do rendimento elevado que o Benfica tem tido até agora mas, entre eles, haverá um em particular que certamente vai dar dores de cabeça ao treinador alemão: o elevado número de defesas centrais que tem no plantel atual.

Ao todo são seis as opções do treinador que, até ao Campeonato no Mundo arrancar, teve em Otamendi e António Silva os pilares habituais do eixo. A partida de ambos para o Catar, onde irão ajudar Argentina e Portugal, respetivamente, nas suas caminhadas em busca da maior glória futebolística em seleções, abriu espaço a John Brooks e a João Victor no embate com o Estrela da Amadora, para Taça da Liga. Mas ainda há Lucas Veríssimo e Morato nas opções de Schmidt, um rol que na reabertura do mercado em janeiro forçará a SAD encarnada a uma reavaliação.