Djaló: um adeus discreto que vale poupança de 300 mil

Djaló: um adeus discreto que vale poupança de 300 mil
Pedro Miguel Azevedo/Rui Miguel Gomes

Tópicos

O extremo, que tinha contrato com o Benfica até ao final da época, tem a possibilidade de jogar em três países.

A ligação de Yannick Djaló ao Benfica vai terminar sem que o extremo formado no rival Sporting se tenha afirmado como opção real na Luz. Neste momento, o avançado tem possibilidades em aberto na Rússia, no Brasil e na Tailândia, sendo que o seu futuro deve ficar definido muito brevemente. Pela parte do Benfica, a desvinculação de Djaló, mesmo não significando um encaixe por transferência, vai representar, ao que O JOGO apurou, uma poupança de cerca de 300 mil euros, sendo que o vínculo do atacante terminava no final desta época.

A passagem de Yannick Djaló pelo Benfica não deixou marca, tendo sido a mesma sido absolutamente discreta: o jogador, agora de 29 anos, apenas vestiu a camisola encarnada por cinco vezes, antes de ter andado emprestado por Toulouse (França), San Jose Earthquakes (Estados Unidos) e Mordovia Saransk (Rússia), também ficando sempre aquém das expectativas.

Polémica foi, recorde-se, a saída de Djaló do Sporting. Após uma transferência falhada para o Nice, em agosto de 2011, por um atraso de quatro minutos na entrada na UEFA da documentação, o extremo acabou por não ficar no emblema francês - com o qual rescindiria em novembro -, nem voltou ao Sporting, com o qual já tinha rescindido. Tal facto abriu a porta ao Benfica para, em janeiro de 2012, o contratar na qualidade de desempregado. Após processo no TAS, o Sporting acabou por receber 800 mil euros do Nice.