"Como é possível confiar nos serviços informáticos do Benfica?"

"Como é possível confiar nos serviços informáticos do Benfica?"
Redação

Tópicos

Comunicado do Movimento Servir o Benfica na sequência dos esclarecimentos do presidente da Mesa da Assembleia Geral.

O Movimento Servir o Benfica emitiu este domingo um comunicado, no qual reage aos esclarecimentos do presidente da Mesa da Assembleia Geral sobre as eleições. No site oficial das águias, Virgílio Duque tentou responder às questões levantadas sobre várias candidaturas no que concerne à confidencialidade do voto e ao sistema eletrónico.

"O Movimento questiona como pode confiar nos serviços do Sport Lisboa e Benfica quando durante anos ninguém suspeitou das fugas massivas de informação que se estavam a dar. Como se pode confiar nos serviços do Sport Lisboa e Benfica quando há notícias que na introdução do método exclusivo de compra online de bilhetes para os jogos do Sport Lisboa e Benfica, na condição de visitante, no site do clube, associados conseguiram em tempo real alterar dados no site e desse modo adquirir os bilhetes? Como é possível confiar nos serviços informáticos do Sport Lisboa e Benfica quando os associados que conseguiram ultrapassar este mecanismo, disponibilizando-se inclusive, em reunião com uma das empresas responsáveis pelo site, a transmitir a informação de como o tinham feito, acabaram por verificar que o método encontrado para resolver os problemas inerentes à compra de bilhetes seria a criação de uma fila virtual que tem como única função ludibriar os associados? Como podem os sócios confiar na confidencialidade do sentido de voto exercido através de meios eletrónicos quando ainda recentemente o Chefe de Gabinete do atual Presidente da Direção do Clube confessou, em artigo publicado no Jornal O Benfica, que sabe quantas Casas do Benfica costumam votar nas AGs eleitorais, informação essa que não é disponibilizada aos sócios e que apenas pode ser consultada por quem tem acesso ao sistema informático que gere a votação eletrónica?", surge escrito.

Leia o comunicado na íntegra: