Benfica vê mais de 37 milhões de euros voarem com derrota frente ao PAOK

Benfica vê mais de 37 milhões de euros voarem com derrota frente ao PAOK
Vítor Rodrigues

Tópicos

Águias deixam de encaixar já 37 milhões de euros caso chegassem à fase de grupos da Champions, que rendeu 100 milhões nas duas últimas temporadas.

A aposta era ambiciosa, os recursos colocados em cima da mesa históricos. Porém, depois de gastar (82 milhões de euros) como nunca até aqui, as águias deixaram a corrida que lhes poderia permitir a entrada pela 11.ª vez consecutiva na fase de grupos de Liga dos Campeões.

Caíram para igual fase mas da Liga Europa, onde têm lugar reservado no pote 1. Assim, as águias já sabem que irão evitar alguns tubarões, como Arsenal, Roma, Nápoles, Bayer Leverkusen, Villarreal, Besiktas e CSKA Moscovo. Este é o mesmo pote onde ainda pode chegar Sporting - se ultrapassar a pré-eliminatória e o "playoff" - e até o Braga, que para já figura no pote 2.

Com este desaire, os encarnados deixam de encaixar 37,4 M€ pela possibilidade de entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões e mais ainda por um eventual desempenho positivo, dado que as vitórias garantem 2,7 M€ e o empate 900 mil euros. Refira-se que nas duas últimas épocas, as águias receberam 100 M€ pela prova (49,23 em 2018/19 e 50,86 em 2019/20).

Este objetivo começou a esfumar-se com o autogolo de Vertonghen (63'), momento em que Rui Costa trocou o banco de suplentes pela bancada, e se confirmou pouco depois de Rafa ainda ter atenuado a diferença (90"+4"), já Luís Filipe Vieira tinha também abandonado a bancada. Após o apito final, ainda no relvado, Jorge Jesus fez questão de chamar todos os jogadores da equipa para que saíssem juntos. Já na sala de conferências, o técnico contou com as presenças de Luís Filipe Vieira, Rui Costa e Tiago Pinto.