Benfica terá plantel "reduzido", postura "mista" no mercado e "sem despesas tremendas"

Benfica terá plantel "reduzido", postura "mista" no mercado e "sem despesas tremendas"

Declarações do presidente do Benfica prestadas à BTV, canal do clube lisboeta, em entrevista acerca da atualidade encarnada, feita três meses após ter sido eleito.

Definição do plantel: "Nestes últimos dois anos, mudamos de paradigma. Temos Paulo Bernardo a jogar e Gonçalo Ramos com muitos mais minutos. Não deixámos de apostar na formação, mas fomos mais ambiciosos nas contrações, mas a contratação de muitos jogadores também trouxe dificuldade que quero acabar. A adaptação ao modelo de jogo atrasa, prejudica e há uns que não se adaptam. É verdade que o investimento [foi] alto, diferente de anos anteriores, mas se pensarmos onde fomos investir... em jogadores internacionais, com carreira que nos dava grande expectativa sobre esses jogadores. Não foi esbanjar dinheiro em jogadores sem currículo."

"O projeto futuro passará misto cada vez mais formação, mas juntar jogadores que tragam experiência, que vieram já perto dos 30 ou já depois com rendimento altíssimo, como Jonas, Júlio César, Otamendi, Vertonghen. O projeto será misto, sem andar com despesas tremendas. Quero um plantel equilibrado e estabilidade que não conseguimos criar nos últimos dois anos."

Mercado de janeiro: "Não é um mercado que ofereça muita coisa. A preocupação é reduzir o plantel. Gosto de plantéis curtos, não tem havido possibilidade. Não porque o treinador [Jorge Jesus] exagerou, mas porque a covid-19 obrigou-nos a ter plantel mais vasto para fazer face a esse problema."