Benfica: Reforço policial e relatos de cadeiras a voar

Benfica: Reforço policial e relatos de cadeiras a voar

Ambiente de alguma tensão na Assembleia Geral do Benfica, que esta noite decorreu no Estádio da Luz, na origem de chegada ao local de reforço policial, com agentes do Corpo de Intervenção.

Momentos de alguma tensão terão sido vividos no interior do pavilhão 2 do Estádio da Luz, onde decorreu esta sexta-feira a Assembleia Geral do Benfica. Existem mesmo relatos de cadeiras a voar e tentativas de agressão a dirigentes encarnados, para além de muitas críticas dos sócios dirigidas a Luís Filipe Vieira, presidente do clube, e referências ao empresário de Jorge Mendes, ligado a muitas das vendas mais importantes dos jogadores do Benfica nos últimos anos.

Se no que refere a cadeiras a voar e tentativas de agressão, resultam de relatos chegados do interior do pavilhão, no exterior foi perceptível a variação entre aplausos e assobios, para além de ter sido bem perceptível o rebentamento de um petardo.

O foco de maior tensão, se assim se pode descrever esse momento, ocorreu no período dado aos sócios para falarem da atualidade do clube, com quase todos a focarem-se no mau momento da equipa de futebol.

Este ambiente de alguma tensão na Assembleia Geral do Benfica, que esta noite decorreu no Estádio da Luz, esteve na origem de chegada ao local de reforço policial, com agentes do Corpo de Intervenção.