Benfica crítico com APAF e CD: "corporativismo bacoco" e "sanha persecutória"

Benfica crítico com APAF e CD: "corporativismo bacoco" e "sanha persecutória"

O Benfica e Rui Pedro Braz, diretor-geral da SAD, foram alvo de um processo disciplinar por críticas à arbitragem. Os encarnados reagiram esta quarta-feira, com duras críticas para a APAF e o Conselho de Disciplina.

Soube-se na terça-feira que o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) instaurou um processo disciplinar ao Benfica, na sequência de uma queixa apresentada pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol contra os encarnados, e também que o diretor-geral da SAD benfiquista, Rui Pedro Braz, foi alvo de um processo disciplinar, neste caso após "participação efetuada pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, tendo por objeto eventual comportamento incorreto violador de deveres gerais".

Hoje, o clube da Luz reagiu, através da newsletter oficial do clube, fazendo críticas à APAF e ao CD.

"Já não nos surpreende que o Conselho de Disciplina abra processos ao Benfica motivados por queixas da APAF. O corporativismo bacoco é uma das características proeminentes desta associação, a qual parece mais preocupada na defesa dos árbitros só porque sim, ao invés de envidar esforços na defesa do setor como um todo, lutando, por exemplo, pela promoção da transparência na arbitragem, em particular nas comunicações entre árbitros e VAR, e de uma auditoria externa ao VAR nos lances de fora de jogo para que, de uma vez por todas, se credibilize a utilização desta ferramenta, dois dos aspetos indicados pelo Benfica como fundamentais para a melhoria do futebol português", lê-se.

"O diretor-geral para o futebol profissional do Benfica é também alvo de um processo por parte do Conselho de Disciplina. O que fez Rui Pedro Braz? De forma urbana e respeitadora, além de reconhecer que se excedeu no banco de suplentes, pediu respeito pelo Benfica e mencionou duas decisões de arbitragem polémicas que todos os analistas asseveraram terem sido mal ajuizadas em prejuízo do Benfica. A abertura do processo nestas circunstâncias diz muito sobre a forma como o Benfica tem sido tratado. Esta sanha persecutória é totalmente descabida e incompreensível. É, ironicamente, mais uma evidente falta de respeito para com uma instituição que merece e tem de ser respeitada", criticam ainda as águias na News Benfica de hoje.