Aviso no Benfica B: "Há jogadores com vícios dos juniores e dos sub-23"

Aviso no Benfica B: "Há jogadores com vícios dos juniores e dos sub-23"
Ricardo Sousa

Tópicos

Renato Paiva avisou que "quem não dá o que tem não pode estar no clube e podem vir outros", incluindo dos juniores, em janeiro. "Sem inspiração tem de haver transpiração", alertou.

O Benfica B somou a quarta derrota na II Liga, após perder em Coimbra frente à Académica, e o técnico Renato Paiva não poupou a sua equipa.

"Dissemos aos jogadores para se focarem e isso não aconteceu, mas sou o principal responsável por isso. Há jogadores aqui com vícios dos campeonatos de juniores e de sub-23 e que ainda não perceberam este contexto e os adversários da II Liga. Aqui, quando se perde a bola, acabou-se. Alguns não perceberam que isto é um jogo coletivo e tentam projetar-se mais do que à equipa", apontou Renato Paiva.

O treinador apontou a inexperiência do plantel atual. "Quando arrancámos no ano passado tínhamos Zlobin, Pedro Amaral, Florentino, Ferro, Keaton Parks, Willock, jogadores com trajeto na II Liga, agora não temos e o clube assumiu isso como uma mudança de ciclo. Rúben Dias, Florentino, Ferro, Renato Sanches e Guedes chegaram à I Liga tendo 50 ou 60 jogos de II Liga, Lindelof tinha cem jogos...", lembrou, deixando, apesar disso, um aviso para quem não der mais do que tem dado.

"Em janeiro ou fevereiro, o crescimento terá de ser evidente. E, se não for com estes jogadores, será com juniores, com os sub-23. Se em janeiro ainda me estiver a justificar com falta de experiência é porque os jogadores não quiseram ou eu não soube. Não me vou demitir das minhas responsabilidades", referiu Paiva, garantindo que quem não estiver à altura pode sair. "Não havendo inspiração terá de haver transpiração. Se alguém não dá o que tem, não pode estar neste clube e podem vir outros. Se não for em janeiro com estes, será com outros", lançou.

O treinador dos bês encarnados culpa, ainda, a falta de competitividade dos escalões mais jovens em Portugal: "Quando um adversário passa por quatro ou cinco defesas isso é falta de intensidade competitiva, de agressividade. A competitividade nos escalões jovens é insuficiente."