António Oliveira, treinador do Benfica B: "A Youth League não é a vitória de uma só pessoa"

António Oliveira, treinador do Benfica B: "A Youth League não é a vitória de uma só pessoa"

Treinador do Benfica B, António Oliveira, considera que a equipa poderia ter chegado mais longe na Liga SABSEG

A temporada do Benfica B: "Acho que é de valorizar o que esta equipa [Benfica B] fez. Ainda não sabemos se em quarto ou quinto lugar, mas se formos quartos será a melhor classificação de sempre. Batemos o recorde de vitórias, o número de golos, fomos a melhor equipa a jogar fora. Se conseguíssemos materializar isso em casa talvez pudéssemos chegar ao título. Há dois meses percebi que era difícil. Eu vendi um sonho aos jogadores que mais tarde percebi que era muito difícil de alcançar, que era o título na II Liga, uma vez que o projeto desportivo do Benfica passava pela Youth League, pelos sub-19 e pela equipa A"

Grupo partido: "De qualquer das formas, fica o registo porque muitas vezes fomos quase um grupo, aliás, no último mês e meio dois meses deixámos de ser praticamente um grupo. Até lá, fomos mais ou menos estáveis, estávamos em primeiros, acreditei sempre que isso fosse possível dentro de uma estabilidade diferente que aquela que não era proporcionada porque os objetivos da equipa B para o Benfica estavam concluídos."

Orgulho: "Tive um enorme prazer e um orgulho fazer esta caminhada. Vim num momento em que o Benfica estava a atravessar um momento difícil, vim com uma missão, tenho a certeza absoluta, que cumpri. Mesmo num contexto muito, muito complicado. Pus sempre os interesses do Benfica à minha frente. Agora vou dar seguimento, retomar a minha carreira e pensar mais em mim. Vou seguir o meu caminho."

Regressar um dia: "Foi um prazer e um orgulho enorme poder representar o Benfica. Já o tinha feito enquanto jogador, fi-lo enquanto treinador. Tenho a certeza que um dia poderei regressar, mas as minhas prioridades, e toda a gente sabe por onde eu andei, o que já conquistei, fiz com orgulho e com esse prazer. Mas agora também não interessa o meu futuro. Mais tarde ou mais cedo vai-se saber. Ou em Portugal, ou fora do país onde felizmente deixei mercado. [...] . Portanto, o meu futuro a seu tempo se saberá. Mas será sempre de acordo com as minhas ambições, com uma estabilidade diferente e numa coisa mais fechada, alcançar aquilo que eu ambiciono para a minha carreira."

Dificuldades: "Muitas vezes quase que nos reunimos na véspera para poder jogar no fim de semana. Também gostaria de mencionar que 60% dos jogadores - alguns não estão aqui - são responsáveis pela conquista da Youth League. E quero o reconhecimento também das pessoas que acompanham e com quem eles trabalham mais tempo. É um trabalho de um conjunto de treinadores que são o reflexo dessa conquista. Não é uma vitória de uma só pessoa, mas acima de tudo do Benfica".