Rui Costa em campanha: "Estou farto de ouvir falar do 38. Queremos o 39, o 40 e o 41"

Rui Costa em Vila Nova de Gaia

 foto José Carmo / Global Imagens

Rui Costa esteve numa ação de campanha, este domingo, na Casa do Benfica de Vila Nova de Gaia

Elogios: "Não sabia que isto existia, que havia assim casas com a paixão que vocês têm. Nasci, cresci e morri na minha carreira de jogador enquanto benfiquista e os nossos jogadores evidenciam isso, o apoio que sentem no Norte. Esse apoio é sentido dentro do campo, mas falta esta vivência, conhecer esta realidade, que é maravilhosa, que é extraordinária. Fiquei sem palavras. Sou um privilegiado, joguei pelo Benfica em qualquer parte do mundo, hoje como dirigente já percorri o mundo inteiro com o Benfica e sinto isso. Mas faltam estes convívios e é por isso, antes de mais, que toda a gente que estiver comigo no Benfica vai ter de conhecer estas realidades ao vivo. Porque é preciso que as pessoas vejam o Benfica fora do Estádio da Luz. Uma coisa é amar o Benfica e outra coisa é eu ter sido recebido assim, isso faz-me sentir que todo o amor que tenho por este clube vale a pena"

Emoção: "Sou um chorão, já estava aqui com uma lágrima a sair. Isto leva-me a ser cada vez mais incisivo naquilo que digo. Tenho de acordar e adormecer a pensar no sócio e no adepto do Benfica e todas as ações que tiver de fazer só podem ser com este compromisso, porque são vocês os donos do clube, somos nós, porque eu também estarei desse lado. Como vão acompanhar no meu manifesto eleitoral, a minha maior premissa é servir o Benfica, servir os sócios e adeptos, ouvir os adeptos sempre, mesmo os críticos, porque ninguém é imune ao erro. Eu de certeza irei errar, o menos possível, mas é com os vossos contributos que irei sempre melhorar e trazer mais coisas para o Benfica para nos orgulharmos daquilo que somos. E servir os adeptos é ganhar, ganhar com lealdade, ganhar com os nossos princípios, mas ganhar. É isso que será imposto a todas as equipas do Benfica, quer do futebol profissional, quer da formação, das modalidades e de todas as atividades."

Mais títulos: "Queremos liderar no futebol, é evidente, somos o clube com mais títulos. Hoje em dia o número mais repetido em Portugal é o 38. Estou farto de ouvir falar do 38, queremos o 39, o 40 e o 41. E vamos com toda a certeza voltar a liderar o futebol português, assim como nas modalidades e até no projeto olímpico, que é algo que também temos de nos orgulhar. Ganhar de forma sustentada, mas como vamos ganhar? Vivemos ainda as consequências da pandemia, que afetou todos os clubes, como o nosso. Apesar disso e apesar das críticas dos nossos rivais, é o mais sustentável, o mais seguro, não deve dinheiro a ninguém, aos seus atletas, funcionários, fornecedores. Temos de ser mais criteriosos em tudo, não importa quantos vamos buscar, importa como chegam cá, quem são e o que vêm trazer"