Benfica resiste a ataque cerrado por Everton: eis os valores que estavam na mesa

Everton cumpre a segunda época no Benfica

 foto EPA

Sauditas do Al Hilal viram oferta recusada, mesmo subindo três vezes a parada e chegando aos 13 M€, que podiam atingir os 18, por 70% do passe.

O Al Hilal fez um ataque de última hora por Everton, tentando convencer o Benfica a libertar, de forma definitiva, o internacional brasileiro. Porém, os argumentos do conjunto orientado por Leonardo Jardim foram insuficientes para conseguir garantir o jogador.

De acordo com informações recolhidas por O JOGO, a formação saudita tentou tudo para assegurar a contratação de Everton, chegando a subir a parada por três vezes. Porém, e apesar das várias tentativas, que englobavam valores como 13 milhões de euros, que podiam chegar aos 18, por 70 por cento do passe do atleta, o Benfica mostrou-se irredutível e disse sempre não ao Al Hilal.

Com uma negociação encaminhada por Michael, do Flamengo, mas a emperrar há duas semanas, a formação da Arábia Saudita tentou ainda assim o extremo benfiquista. Contudo, deparou-se com a recusa das águias em abrir mão do camisola 7. Isto porque, tal como o nosso jornal adiantou, Rui Costa não pretende perder jogadores titulares nesta fase, fechando a porta também a uma saída do atleta que dite um prejuízo para a SAD encarnada, que investiu 20 milhões de euros na sua contratação em 2020/21. Assim, o Al Hilal optou por fechar definitivamente a contratação do atacante do Mengão, a quem paga cerca de 7,6 milhões de euros por 80 por cento do passe.

Agora comandado por Paulo Sousa, o Flamengo busca um reforço sonante para a posição, isto apesar de já ter assegurado Marinho, do Santos, e tem Everton na mira. O conjunto carioca admite apresentar uma oferta entre os 13 e os 15 milhões de euros, além do passe do lateral-esquerdo Ramon, algo que não agrada, porém, na Luz, mas com a venda de Michael tem fundos reforçados para atacar o negócio.