Grupo de adeptos preocupados com situação atual do Belenenses

Grupo de adeptos preocupados com situação atual do Belenenses
Miguel Gouveia Pereira

Tópicos

Fernando Moreira Silva é o porta-voz de um grupo de sócios preocupado com os recentes resultados desportivos do clube. Caso a situação não mude, podem formar uma lista para concorrer às eleições, agendadas para outubro

Não são contra a SAD, nem contra o clube. São apenas um grupo de sócios preocupados com a situação atual do Belenenses. É assim que o define Fernando Moreira Silva, porta-voz destes associados belenenses, descontentes com os resultados recentes de algumas modalidades, particularmente do futsal. "Por causa da litigância com a SAD, o clube já gastou mais de 200 mil euros em custas de tribunais. Isso é superior ao orçamento do fusal, que está perto de descer de divisão", lamenta, em conversa com O JOGO, este gestor projeto, de 48 anos, que é sócio do Belenenses praticamente desde a nascença.

A degradação do Complexo do Restelo e a falta de avanços do projeto de requalificação do mesmo também é outra preocupação. Por isso, a insatisfação está a crescer e já há grupos criados no Facebook e Whatsapp, com mais de 200 membros, onde há discussões diárias sobre este problema. Há ainda almoços frequentes organizados por estes associados do emblema do Restelo. "Já conversei com cinco ex-presidentes do Belenenses que partilham da nossa preocupação. O nosso objetivo é alertar para a situação em que está. Falta dinâmica, o clube tem de se apetrechar e arranjar soluções para ser mais moderno", ressalva Fernando Moreira Silva, apontando que o caminho pode passar por a criação de uma lista alternativa à atual Direção, presidida por Patrick Morais de Carvalho.

As eleições no clube lisboeta estão marcadas para outubro. "Ninguém ambiciona ser presidente, mas o clube está igual há 20 anos. Se não aparecer um projeto musculado e com soluções encaminhadas, não teremos dificuldades em arranjar pessoas que apontem um caminho diferente", garante.

Contudo, apesar das discordâncias com o caminho atual, o associado belenense lembra que houve coisas bem- feitas nos últimos anos. "Ter uma equipa na distrital é um bom projeto, mesmo que a SAD ainda estivesse no Restelo. A gala do 100º aniversário também foi digna da nossa história e as Salésias, apesar de não ter as dimensões para um jogo oficial, não podia estar abandonado como estava", elogia.

Em relação às divergências com a SAD, Fernando Moreira Silva considera que, em caso de aproximação ou separação total, "é preciso encontrar uma solução benéfica para o clube" e que "o futuro do Belenenses não pode estar hipotecado em processos judiciais e numa eventual alteração da lei". No entanto, frisa que "neste momento, a situação da SAD não é a mais importante". "O Belenenses tem miúdos com qualidade em muitas modalidades e é preciso condições para que eles continuem no clube", sublinha, recordando ainda que a denúncia do protocolo não estava no programa da atual Direção: "O que foi proposto era recompra da SAD, não o caminho que está a ser traçado. E a denúncia do protocolo foi aprovada por 280 sócios, que representam apenas dois por cento do universo de associados."