"É natural que as pessoas olhem para o lado e fiquem um bocado assustadas"

"É natural que as pessoas olhem para o lado e fiquem um bocado assustadas"

Augusto Inácio mostrou confiança no regresso do Aves às vitórias, recomendando "serenidade" para defrontar o Paços de Ferreira, no jogo de abertura da sexta jornada da I Liga

"A mensagem passa melhor e mais depressa quando se ganha. Ninguém fica contente quando se perde e quando temos muitos jogadores novos, que não percebem o que é o futebol português, é natural que as pessoas comecem a olhar para o lado e fiquem um bocado assustadas. É importante ganharmos, mas temos de ter a serenidade suficiente para ultrapassar os momentos menos bons", advertiu o treinador, na conferência de antevisão ao duelo de sexta-feira, realizada no Estádio do CD Aves.

Num duelo de aflitos, uma vez que os dois clubes estão na zona de despromoção, Augusto Inácio rejeitou a possibilidade de os pacenses se apresentarem fragilizados pelo facto de serem a única equipa sem qualquer triunfo no campeonato.

"Coloco o Paços num patamar alto, porque pode dar ilusão de que é uma equipa fraca, mas não é. Fez um bom jogo em Famalicão [perdeu por 4-2 na última ronda], tem um novo treinador e deve estar a passar pelos mesmos processos que nós. Espero um jogo equilibrado e quem estiver mais estável mentalmente tem mais possibilidades de ganhar", estabeleceu.

Face aos 16 golos consentidos em cinco partidas, que entregam ao Desportivo das Aves o estatuto de pior defesa da prova, o experiente treinador está obrigado a encontrar maior solidez, mas reiterou confiança em melhores dias.

Desde o princípio disse que ficaríamos mais consistentes a partir de outubro. Se já sinto melhorias? Vamos ver neste jogo. A primeira parte em Guimarães agradou-me [derrota por 5-1], mas os resultados irão dar mais corpo à nossa ideia", vincou.

Instado a comentar notícias recentes que apontavam a sua saída do comando técnico do Aves, Augusto Inácio desvalorizou o assunto, garantindo que permanece de consciência tranquila, após uma reunião entre plantel, equipa técnica e direção no seguimento da goleada sofrida diante do Vitória de Guimarães.

"Não vou a tremer para o jogo de amanhã. Há coisas muito mais importantes na vida, e o futebol é a nossa profissão. É evidente que queríamos ter mais pontos, mas estamos próximos de outras equipas com orçamentos extraordinários", concluiu.

Os dois emblemas cruzaram-se por seis ocasiões na elite do futebol português, com a particularidade de os avenses nunca terem derrotado aos pacenses.

O Desportivo das Aves, 17.º e penúltimo colocado, com três pontos em quinze possíveis, visita o Paços de Ferreira, na última posição, com um ponto, na sexta-feira, às 20h30, no Estádio Capital do Móvel.