"Benfica? Não vamos ser coitadinhos, temos uma palavra a dizer"

"Benfica? Não vamos ser coitadinhos, temos uma palavra a dizer"
Cristina Aguiar

Tópicos

Armando Evangelista, treinador do Arouca, fez a projeção da receção ao Benfica, depois de uma semana sem competir, após o adiamento do jogo com o Estoril, por casos de covid-19

Ausências por covid-19 e sem competição: "Acresceu em dificuldades a preparação do jogo e dos jogadores para a competição. Trabalhar com um grupo reduzido e com a chegada de grupos a conta gotas o facto de ir a jogo com alguns atletas que fizeram o primeiro treino hoje, outros ontem, isso condiciona a estratégia e levanta algumas dúvidas em relação à condição física para a exigência que vai ser o jogo. Importante agora é reunir as tropas e colocar, novamente, o grupo no caminho pretendido, com competitividade. É perante as adversidades que podemos crescer e fortalecer-se. Não era o cenário ideal para preparar um jogo."

Como motivar grupo: "Para estes jogos, motivar não é a parte difícil para um treinador, o jogo em si é desafiador e motivante. A grande dificuldade foi juntar o grupo para preparar o jogo como merecesse e com rigor, porque aqui o erro, a distração, paga-se caro. Tivemos de recorrer a estratégias diferentes e com as quais os atletas não estão habituados e minimizar a ausência. Houve um trabalho de equipa para nos superarmo-nos. Mas estaremos prontos para dar uma resposta e sermos competitivos."

Regulamentos: "Quem votou estes regulamentos foram os clubes, e aceitaram estas condicionantes, temos de aceitar as regras de jogo porque fizemos parte da votação que aceitou estas regras. Ir para a frente e sem lamentações. Se me perguntarem, enquanto treinador se gostaria de ter mais tempo até para compreender o estado de alguns jogadores, porque uns tiveram sintomas e outros não; até que ponto o estado físico principalmente estão e para dar resposta, responder-lhe-ia que era necessário mais tempo."

Probabilidades frente ao Benfica: "Não vamos ser coitadinhos, nem fazer de coitadinhos. Somos homens, queremos superar-nos, surpreender, de certeza, vamos ter uma palavra a dizer. Quando a individualidade dá tudo em prol do coletivo, estes jogadores é com esta mentalidade que têm crescido, acho que estamos mais próximos de surpreender e ser competitivos. Queremos pontos porque nos fazem muita falta."

Instabilidade do Benfica: "Não acredito que seja uma vantagem. Temos as nossas dificuldades e o Benfica tem também, mas no colocando tudo no prato da balança, acho que tende sempre para o Benfica. Temos de nos focar dentro do nosso grupo do que no que hipoteticamente o Benfica poderá estar a passar. Queremos fazer um jogo do qual nos podemos orgulhar."

David Simão e castigos no ataque: "Há clubes que têm sub-23 e B, pelo que as equipas podem recorrer dessas equipas secundárias e colmatar ausências. Nós não temos, por isso temos de arranjar soluções e é a oportunidade para outros. Gostaria de ter o André e o Odday porque são os únicos avançados que temos. Teremos de improvisar e ser criativos. David Simão faz parte e não estava no lote dos que contraíram covid-19, embora esteja sem competir há bastante tempo. Ele estará melhor do que outros, porque foi dos que esteve sempre a trabalhar."