Arouca deu "safanão" e vai receber "sem receio" o V. Guimarães

Arouca deu "safanão" e vai receber "sem receio" o V. Guimarães
Redação com Lusa

Tópicos

O Arouca, 12.º classificado, com sete pontos, recebe o V. Guimarães, nono, com nove pontos, em jogo da sétima jornada da I Liga que está agendado para as 15h30 de domingo

O treinador do Arouca afirmou este sábado que a equipa está a jogar "sem receio de perder" e moralizada para receber o V. Guimarães, apesar de três jogos seguidos sem vencer na I Liga.

Na última partida, o Arouca recebeu e perdeu com o Boavista (2-1) num jogo com várias incidências e em que Opoku e Soro receberam ordem de expulsão, mas para Armando Evangelista a equipa deu um "safanão".

"Estamos há um jogo sem pontuar, prefiro olhar dessa forma porque, para o que é o nosso campeonato, todos os pontos são importantes. Parece-me que foi dado o safanão pela resposta que demos às incidências do último jogo, demonstra que o Arouca é uma equipa que está ligada, sem receio de perder e capaz de disputar todos os jogos" apontou o técnico, em conferência de imprensa.

Do outro lado, está um V. Guimarães que respondeu a três derrotas consecutivas com um triunfo na última jornada, que tem "uma boa equipa, bons executantes" e um maior estatuto, em que a compra de André Silva - melhor marcador do Arouca nas últimas duas épocas - é exemplo da "profundidade e do plantel" que os minhotos foram capazes de formar, mas que, por si só "não vale nada".

"Se nesse aspeto o Vitória de Guimarães está à frente, nos outros queremos estar nós, porque, se perdemos nuns aspetos, ganhamos noutros. Temos que ser mais fortes nos que podemos controlar", apontou.

O reencontro com André Silva parece que vai ter de ser adiado, já que o avançado brasileiro está lesionado, enquanto o técnico arouquense, que fez a formação como jogador e os primeiros passos como treinador no V. Guimarães, referiu as "muitas mudanças" no emblema vitoriano desde a época passada.

"Não vejo duas épocas iguais porque não há duas cabeças a pensar da mesma forma. Quando se muda uma direção, equipa técnica e jogadores, automaticamente existem diferenças. O balanço faz-se mais à frente, mas não é isso que me preocupa. Preocupa-me o Arouca porque é o que me tira o sono e o que me faz dormir descansado", indicou.

A nível de ausências, o Arouca não vai poder contar com os suspensos Soro e Opoku, algo que causa preocupação, mas não aflige Armando Evangelista que deposita a confiança noutras soluções e escolhas.

"Se não temos o Soro, temos o Pedro Moreira, o Uri Busquets ou o Yaw Moses. Se não temos o Opoku, temos o Nino Galovic, o Rafael Fernandes ou o Sema Velázquez. Preocupa-me porque são menos duas opções, mas a verdade é que temos mais soluções para colmatar essas ausências. Gostaria de ter toda a gente disponível, mas temos opções para as colmatar e nas quais confio muito", vincou.