PSP confirma agressões por 30 a 40 indivíduos com "camisolas alusivas aos No Name Boys"

PSP confirma agressões por 30 a 40 indivíduos com "camisolas alusivas aos No Name Boys"
Redação

A PSP confirmou a existência agressão a "homem alegadamente pertencente ao grupo organizado de adeptos conhecidos por Juve Leo por "por um grupo de cerca de 30 a 40 indivíduos" com camisolas alusivas a claque do Benfica

A Polícia de Segurança Pública explicou esta quarta-feira que "apesar dos suspeitos estarem de rosto tapado, a vítima reconhece-os em virtude de existir uma rivalidade antiga entre os mesmos". Em causa, a agressão a um alegado elemento da Juventude Leonina, esfaqueado e espancado por um 30 a 40 alegados membros dos No Name Boys, no Estoril. A vítima apresenta diversos hematomas e duas facadas superficiais no peito, ferimentos que a obrigaram a receber assistência médica no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

O comunicado da PSP explica que a vítima foi agredida quando se encontrava sozinha, tendo valido "um agente da PSP, em patrulhamento de prevenção criminal no local, se apercebeu da situação e interveio de imediato". O mesmo texto explica que os "suspeitos cessaram as agressões e se colocaram em fuga em várias direções, não tendo sido possível intercetar nenhum deles".

COMUNICADO DA POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA

Agressões entre membros de claque

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão Policial de Cascais, no dia 26 de maio, pelas 17h20, em São João do Estoril, teve notícia de uma situação de agressão a um homem de 32 anos de idade, alegadamente pertencente ao grupo organizado de adeptos conhecidos por Juve Leo.

Segundo foi possível apurar, o homem foi agredido por um grupo de cerca de 30 a 40 indivíduos, os quais tinham o rosto tapado com camisolas de cor preta com as letras vermelhas alusivas à claque de futebol NoName Boys.

Os suspeitos agrediam a vitima, que se encontrava sozinha, quando um agente da PSP, em patrulhamento de prevenção criminal no local, se apercebeu da situação e interveio de imediato, altura em que os suspeitos cessaram as agressões e se colocaram em fuga em várias direções, não tendo sido possível intercetar nenhum deles.

Apesar da oportuna intervenção do agente policial, que evitou consequências mais graves, a vítima sofreu várias lesões, sendo por isso transportado para uma unidade hospitalar.

De referir que apesar dos suspeitos estarem de rosto tapado, a vítima reconhece-os em virtude de existir uma rivalidade antiga entre os mesmos.