Pequena pedra num grande sapato

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

José Manuel Ribeiro

Um livro por dia >> Há vários livros sobre o episódio, e mais ainda sobre história, personalidade e génio de Clough, mas este deu um bom filme

Digamos, só pelo marketing da coisa, que é a melhor história possível de um treinador: com 32 anos, o brilhante e desbocado Bryan Clough traz o Derby County para a I Divisão, chegando ao título inglês logo à segunda época (1971/72), e não só repetiu o feito como o melhorou, cinco anos mais tarde com o Nottingham Forest, com quem foi campeão inglês logo na época de subida, e bicampeão da Europa nas duas seguintes.

Mas essa história não é a deste livro. Lá atrás, ficara o campeonato ganho pelo Derby. O segundo classificado, a um ponto de distância, fora o Leeds United, que Clough ganhara o hábito de destratar com regularidade, ora porque jogava "sujo", ora porque se movia nos bastidores, ora porque Clough estava mal disposto nesse dia, ora porque detestava o treinador Don Revie. Isso tudo embrulhado na hostilidade inevitável entre clubes que disputaram o título até ao último minuto. "The Damned United", cuja tradução livre mais rigorosa será "O Raio do United", conta os 44 dias que, contra todas as probabilidades, o odiado Clough viveu como treinador do Leeds, depois de se ter oferecido ao clube, e cujo principal efeito foi tê-lo devolvido, com o rabo entre as pernas, à II Divisão e à tal saga com o Forest que marcou a história do futebol.

Só acrescento que uma das grandes convulsões geradas pela chegada do novo treinador foi a contratação de um rapaz chamado Peter Shilton para a baliza. Há vários livros sobre o episódio, e mais ainda sobre história, personalidade e génio de Clough, mas este deu um bom filme ["Maldito United", 2009, realizado por Tom Hooper] e, para quem ainda não tiver desistido, dá também três boas horas de leitura. Só em inglês, lamento.