Tragédia na Madeira: Marcelo adia ida ao Funchal para dar prioridade a transporte de feridos

Tragédia na Madeira: Marcelo adia ida ao Funchal para dar prioridade a transporte de feridos

"É muito mais importante haver o acorrer aos feridos do que o Presidente partir hoje", explicou.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, adiou a sua deslocação à Madeira, na sequência do acidente com um autocarro turístico que provocou pelo menos 28 mortos, para dar prioridade ao transporte aéreo de feridos.

Em declarações no exterior do Palácio de Belém, em Lisboa, em direto para o Telejornal da RTP, o chefe de Estado disse que era sua intenção viajar de imediato para o Funchal, num avião da Força Aérea Portuguesa, "mas surgiu uma prioridade" que o levou a adiar a deslocação.

"Eu fui muito sensível a essa prioridade, que é a necessidade de os aviões, nomeadamente o avião que ia utilizar da Força Aérea Portuguesa, poder ser utilizado para transportar feridos. E sendo necessários os dois, isso tem prioridade. É muito mais importante haver o acorrer aos feridos do que o Presidente partir hoje", justificou.

"Portanto, irei, mas não irei imediatamente, porque há essa prioridade", acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.