Piloto morto em queda de helicóptero era comandante dos Bombeiros de Cete

Piloto morto em queda de helicóptero era comandante dos Bombeiros de Cete

O comandante residia no Montijo, distrito de Setúbal, e operava aeronaves em vários pontos do país para uma empresa privada

O piloto que morreu esta quinta-feira na queda do helicóptero que operava no combate a um incêndio em Valongo, no Porto, era comandante dos Bombeiros Voluntários de Cete, em Paredes. A vítima mortal, Noel Ferreira, de 36 anos, assumia a liderança da corporação há cerca de dois anos.

O comandante residia no Montijo, distrito de Setúbal, e operava aeronaves em vários pontos do país para uma empresa privada. Já fonte dos Bombeiros Voluntários de Valongo revelou que Noel Ferreira era piloto da Força Aérea.

A queda do helicóptero em Sobrado, Valongo, causou a morte do piloto que conduzia a aeronave, disse à Lusa fonte oficial da Afocelca, empresa que cede bombeiros especializados à proteção civil e para a qual a vítima trabalhava.

Em comunicado, a Afocelca expressa "o mais profundo pesar à família e amigos da vítima" e indica que "as circunstâncias em que ocorreu o acidente estão a ser apuradas pelas autoridades competentes".

A Afocelca é um agrupamento complementar de empresas da ALTRI e da The Navigator Company que, com uma estrutura profissional, tem por missão apoiar o combate aos incêndios florestais em todo o país.

"Em mais de 85% das suas intervenções apoiou o combate a incêndios em propriedades particulares que não pertencem nem à ALTRI nem à Navigator, como foi aliás este caso", acrescenta.

A Afocelca refere também ser dotada dos seguintes meios: uma Central de Operações (COA) - Comando único com ligação à rede nacional de alerta, três Celcas - Helicópteros ligeiros para combate com água, três ECH - Equipas de Combate Helitransportadas, 19 ECT - Equipas de Combate Terrestre, 38 UPV - Unidades de Prevenção e Vigilância, 18 oficiais de ligação nos distintos Comandos Distritais de Operação e Socorro e 120 colaboradores das empresas envolvidos".

Uma equipa do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) está a caminho de Valongo, onde esta tarde caiu um helicóptero, causando a morte do seu piloto, adiantou à Lusa o diretor.

Com este acidente, contabilizam-se pelo menos cinco desastres com helicópteros de combate a incêndios durante este ano, depois de se terem registado situações em Pampilhosa da Serra (Coimbra), Tomar, distrito de Santarém (Castelo do Bode), na barragem do Beliche, no Algarve, e no Sabugal, distrito da Guarda.