Alec Baldwin reage ao incidente com arma que matou diretora de fotografia

Alec Baldwin reage ao incidente com arma que matou diretora de fotografia
Redação com Lusa

Ator norte-americano disparou acidentalmente uma arma que deveria ser um adereço.

O ator norte-americano Alec Baldwin declarou-se "devastado" depois de ter acidentalmente matado a tiro, com uma arma que deveria ser um adereço, a diretora de fotografia do western que rodava no Estado do Novo México.

"Faltam-me as palavras para expressar a minha estupefação e a minha tristeza após o acidente trágico que matou Halyna Hutchins", escreveu na rede social Twitter o ator que na quinta-feira disparou, durante a rodagem de uma cena do filme "Rust", uma arma que afinal continha balas verdadeiras, ferindo o realizador, Joel Souza, e a diretora de fotografia, que acabou por sucumbir aos ferimentos.

"Estou a cooperar totalmente com a investigação policial sobre como pôde esta tragédia acontecer e estou em contacto com o marido [de Halyna Hutchins] para lhe oferecer o meu apoio, bem como à sua família", acrescentou Baldwin.

Halyna Hutchins, de 42 anos, foi transportada de helicóptero para um hospital próximo do local das filmagens, onde foi declarado o óbito pelos médicos.

O realizador do filme, Joel Souza, de 48 anos, também foi hospitalizado, mas, ao contrário do que foi inicialmente noticiado, não sofreu ferimentos graves e teve alta algumas horas depois, segundo um tweet da atriz de "Rust" Frances Fisher, que recebeu uma mensagem de telemóvel do próprio.

Segundo a revista de entretenimento norte-americana "Hollywood Reporter," que cita um porta-voz da produção do filme, tratou-se de "um acidente" envolvendo um adereço que deveria ter balas de pólvora seca, uma informação também confirmada pelos serviços do xerife do condado de Santa Fé.

A investigação prosseguiu e não foi, até agora, feita qualquer acusação, precisou o xerife em comunicado.

"O senhor Baldwin foi interrogado por agentes policiais", disse o porta-voz do xerife, Juan Rios, citado pela agência noticiosa francesa AFP.

"Ele prestou declarações e respondeu a algumas perguntas. Apresentou-se voluntariamente e abandonou o edifício após o fim do interrogatório. Não foi feita qualquer acusação ou qualquer detenção", precisou.

O jornal local "Santa Fé New Mexican" publicou fotos de Alec Baldwin visivelmente perturbado, tiradas num parque de estacionamento após a tragédia, e escreveu que os seus repórteres viram o ator em lágrimas após ter sido interrogado pelos investigadores.

"Todo o elenco e toda a equipa estão completamente devastados com a tragédia de hoje, e enviamos as nossas sinceras condolências à família de Halyna e aos seus entes queridos", declarou o porta-voz da produção em comunicado.

"Parámos a rodagem do filme por tempo indeterminado e estamos a cooperar totalmente" com a investigação, acrescentou.

"Rust" é um "western" escrito e realizado por Joel Souza, protagonizado pelo coprodutor Alec Baldwin, no papel do fora-da-lei Harland Rust, que foge com o seu neto de 13 anos quando este é condenado a ser enforcado por um homicídio que foi acidental.

Halyna Hutchins residia em Los Angeles e era considerada uma estrela em ascensão do cinema norte-americano. Nascida na Ucrânia, cresceu numa base militar soviética situada no círculo ártico, segundo a sua página na internet.

Num comunicado enviado à AFP, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros ucraniano declarou que o consulado da Ucrânia em San Francisco está a trabalhar com a polícia para esclarecer as circunstâncias da morte de Halyna.

O incidente que lhe custou a vida aconteceu no rancho Bonanza Creek, muito utilizado para filmar "westerns" e que foi selado pela polícia.

Com 63 anos, Alec Baldwin tornou-se particularmente popular nos Estados Unidos nos últimos anos, devido às suas imitações de Donald Trump no célebre programa satírico "Saturday Night Live".