PS/Paços de Ferreira quer Governo a baixar as portagens na ligação ao Porto

PS/Paços de Ferreira quer Governo a baixar as portagens na ligação ao Porto
Lusa

O PS/Paços de Ferreira solicitou ao Governo a redução das portagens nas autoestradas que ligam o concelho à Área Metropolitana do Porto, disse hoje à Lusa o líder da concelhia, Paulo Sérgio Barbosa.

O dirigente explicou que o valor cobrado na antiga SCUT (vias sem custos para o utilizador) que serve o concelho é demasiado elevado, tendo até em conta que o limite de velocidade na A42 é inferior ao praticado na generalidade das autoestradas portuguesas, "situação injusta e que também devia ser corrigida".

Paulo Sérgio Barbosa assinalou que ambas as reivindicações foram apresentadas numa reunião recente realizada na Federação Distrital do Porto, para a qual foi convidado o ministro do Planeamento, Pedro Marques.

Para o presidente da Comissão Política Concelhia do PS e vice-presidente da Câmara de Paços de Ferreira, a atual limitação de velocidade a 110 quilómetros por hora acaba por traduzir-se, também, num risco elevado de contraordenações aos condutores.

O presidente da concelhia disse aguardar que o Governo seja sensível aos argumentos de Paços de Ferreira e dos municípios vizinhos, frisando que o presidente da Câmara e Lousada, o socialista Pedro Machado, também comunicou ao ministro, na mesma reunião, a sua preocupação sobre o problema das portagens e dos limites de velocidade.

A antiga SCUT do Grande Porto (A41/A42) é o principal acesso rodoviário à sede do distrito, a partir dos concelhos do norte do Vale do Sousa (Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras).

As três câmaras municipais e empresários da região sempre contestaram a introdução das portagens, ocorrida em meados de junho de 2012, alegando o impacto negativo na economia de um território que tem um peso significativo na economia nacional, por via das exportações dos setores do mobiliário, têxtil e calçado.

A inexistência de alternativas rodoviárias fiáveis obriga à elevada utilização da autoestrada, sobrecarregando empresas e particulares, insistiu o líder do PS/Paços de Ferreira.

Ao ministro do Planeamento foi também comunicado um estudo sobre a construção de uma linha férrea com cerca de 30 quilómetros que ligue a Linha do Douro, em Valongo, a Felgueiras, passando pelos concelhos de Paredes, Paços de Ferreira e Lousada.

O documento é apoiado politicamente pelos cinco concelhos, nomeadamente por Paços de Ferreira e Felgueiras, dois municípios fortemente industrializados, mas que não são servidos pela rede ferroviária nacional e que veem naquela infraestrutura de transportes uma potencial mais valia para a mobilidade de pessoas e mercadorias.