Venezuela: Um indígena morto em operação contra exploração ilegal de minas

Venezuela: Um indígena morto em operação contra exploração ilegal de minas
Lusa

Um indígena morreu e outros três ficaram feridos, no domingo, na sequência de uma operação militar contra a exploração ilegal de minas no Parque Nacional Canaima, no estado de Bolívar, no sul da Venezuela.

De acordo com a rádio local, 14 funcionários da Direção de Contra-Inteligência Militar (DGCIM) chegaram armados à mina de Campo Carrao, no Parque Nacional Canaima, em três aeronaves da empresa elétrica estatal (Corpoelec), aparentemente para aplicar medidas contra a exploração ilegal de minas.

Após a chegada, os militares terão agarrado duas "curiaras" (embarcações usadas pelos indígenas nos rios locais) e, durante confrontos, assassinado a tiro o indígena Carlos Peñalosa e ferido outros dois membros daquela comunidade.

A situação causou revolta na comunidade indígena "pemón de Arekuna", que desarmou, deteve e golpeou dois militares, para depois fechar o aeroporto local e, durante mais de seis horas, ter impedido turistas de sair do local.

O provedor de justiça, Alfredo Ruíz, confirmou a morte de um dos indígenas e descreveu a situação como "delicada", acrescentando que está a ser investigada pelas autoridades.

Por outro lado, o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) suspendeu a realização, naquela zona, das eleições de domingo, para vereadores.

A oposição venezuelana denuncia que a operação se tratou de um "vulgar assassínio" e insiste que os indígenas desmentem que terão enfrentado os militares.

Entretanto, o Instituto Nacional de Aviação Civil da Venezuela (INAC) suspendeu oficialmente os voos para Canaima.

O líder das comunidades indígenas locais, Ricardo Delgado, condenou as ações militares e responsabilizou o Governo do Presidente Nicolás Maduro pelo homicídio.

"Unimo-nos para apoiar a luta dos nossos irmãos Pemón em Carnaima contra a barbárie deste regime que detestamos", disse, num vídeo divulgado na rede social Twitter, em que acusou o Governo venezuelano de "intimidar os indígenas" para os afastar das zonas mineiras.

O Parque Nacional Canaima está situado no sul da Venezuela, no estado de Bolívar, onde existem várias minas de ouro e outros minerais, a céu aberto e subterrâneas, sendo frequentes as denúncias de confrontos e assassínios nas explorações.

A oposição venezuelana tem denunciado que o Governo está a cometer "graves danos ecológicos" na exploração das minas.