São Tomé/Eleições: Oposição diz a militantes que podem ser chamados a defender a democracia

São Tomé/Eleições: Oposição diz a militantes que podem ser chamados a defender a democracia
Lusa

Os partidos são-tomenses da oposição alertaram hoje os seus militantes, amigos e simpatizantes a estarem "atentos e prontos" a serem chamados para defender a democracia e Estado de direito.

"Os partidos da oposição chamam a atenção dos seus militantes, amigos, simpatizantes e o povo são-tomense amante da paz, da estabilidade e da democracia a estarem atentos e prontos para possíveis chamamentos para a defesa da nossa causa maior - a defesa e garantia do Estado de Direito Democrático", referem, um comunicado conjunto hoje lido a jornalistas.

No comunicado, o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD) e a coligação composta pelos Partido da Convergência Democrática (PCD), a União para a Democracia e Desenvolvimento (UDD) e o Movimento Democrático Força da Mudança (MDFM) exortam também o Tribunal Constitucional para o cumprimento da lei em relação à recontagem de votos nulos e brancos pedida pelo partido no poder.

"Os partidos da oposição exortam igualmente o Tribunal Constitucional para o cumprimento da lei, pautando a sua conduta pela imparcialidade e isenção, de modo a garantir a continuidade do Estado de direito Democrático, num clima de paz e harmonia social", referem.

Os partidos da oposição acusam a Ação Democrática Independente (ADI) de tentativa de "inverter os resultados eleitorais de 07 de outubro de forma fraudulenta".

"A ADI tem sistematicamente introduzindo várias reclamações e recursos no Tribunal Constitucional contra o previsto na lei eleitoral, o que demonstra o seu desespero face à derrota decretada pelo povo nas urnas", indica o comunicado.

"Igualmente têm sido detetadas várias irregularidades nos apuramentos distritais em Água Grande, onde, no decurso dos trabalhos, deu-se conta do desaparecimento de uma das urnas que misteriosamente reapareceu no dia seguinte", sublinha ainda o comunicado os partidos da oposição.

O MLSTP-PSD e a coligação salientam que a oposição obteve cerca de 40 mil votos contra cerca de 33 mil da ADI.

Segundo os resultados provisórios das eleições legislativas de domingo, divulgados pela Comissão Eleitoral Nacional (CEN), a ADI venceu as legislativas por maioria simples (25 mandatos em 55 da Assembleia Nacional), seguindo-se o MLSTP-PSD, com 23 lugares; a coligação PCD-UDD-MDFM, com cinco eleitos, e ainda dois deputados eleitos como independentes pelo distrito de Caué (sul do país).

Na segunda-feira, registaram-se confrontos entre apoiantes da oposição e a polícia durante o apuramento dos resultados na circunscrição de Água Grande, na capital.

A ADI convocou para sexta-feira uma uma "concentração pacífica", na Praça da Independência, em São Tomé "a favor da paz, da tranquilidade do respeito pela lei e pela Constituição".