Galerias do continente africano presentes pela primeira vez na ARCOlisboa (C/VIDEO+FOTO)

Galerias do continente africano presentes pela primeira vez na ARCOlisboa (C/VIDEO+FOTO)
Lusa

Lisboa, 15 mai 2019 (Lusa) - Galerias do continente africano marcam este ano presença pela primeira vez na ARCOlisboa - Feira Internacional de Arte Contemporânea de Lisboa, numa estreia com cerca de três dezenas de artistas de Angola, África do Sul, Moçambique e Uganda.

O certame, que hoje inaugurou oficialmente, optou por explorar galerias de um continente cuja arte contemporânea "está a gerar muito interesse", segundo a diretora da feira, Maribel Lopez, que este ano substitui Carlos Urroz.

Nessa linha, foi criada nesta quarta edição da ARCOlisboa, a secção África em Foco, com curadoria da arquiteta e curadora independente Paula Nascimento, que selecionou seis galerias africanas para estarem presentes transversalmente na feira, que até agora nunca tinha acolhido galerias daquele continente.

Pintura, escultura, desenho, fotografia são os suportes predominantes das obras dos artistas africanos que geraram muito interesse na abertura oficial.

A nova secção especial África em Foco conta com seis galerias, a Afriart (Kampala, Uganda), Arte de Gema (Maputo, Moçambique), Jahmek (Luanda, Angola), Momo (Cidade do Cabo, África do Sul), Movart (Luanda, Angola) e This is not a White Cube (Luanda, Angola).

A Movart, de Angola, apresenta os artistas Mário Macilau, René Tavares, Keyezua, com obras sobretudo em pintura e fotografia, enquanto a galeria Arte de Gema, de Moçambique, levou desenho e pintura de Filipe Branquinho, Rodrigo Mabunda, Djive e Gemuce.

Já a Momo, da África do Sul, apresentou obras de Pedro Pires e de Stephané E. Conradle, e a Afriart, do Uganda, obras de pintura, tapeçaria e fotografia de Sanaa Gateja, John Baptist, Ssekubulwa e Stacey Gilian Abe.

O certame coorganizado pela Feira de Madrid (IFEMA) e pela Câmara Municipal de Lisboa convidou 71 galerias de 17 países para se apresentarem na Cordoaria Nacional, em conjunto com uma secção dedicada às publicações de arte contemporânea.

Como nas edições anteriores, a feira será organizada em torno de três áreas: o Programa Geral, com 52 galerias, Opening, com nove, e Projetos, também com nove.

Participam 24 galerias de Portugal, 24 de Espanha e duas do Brasil, mas também de países como o Reino Unido, a Roménia, a Itália, Polónia e França.

No Programa Geral, composto por 52 galerias de 16 países, algumas participarão pela primeira vez, como a Vera Munro (Alemanha) e Georg Kargl (Áustria), recebendo ainda outras que regressam, como Krinzinger (Áustria), Greengrassi (Londres), Pietro Sparta (Fraça) e Vermelho (Brasil).

O programa Opening voltará a centrar-se em galerias com uma trajetória de um máximo de sete anos, tendo por objetivo proporcionar nova informação e experiências estéticas.

Será composto por nove galerias selecionadas por João Laia, que inclui algumas de criação recente como a Lehmann+Silva, do Porto, ou Fran Reus, de Palma de Maiorca.

A secção de Projetos, que voltará a ocupar o Torreão Poente, mostrará nove projetos de artistas individuais apresentados na feira pelas suas galerias.

Entre eles, Daniel García Andújar, da galeria Àngels Barcelona, Gerold Miller, apresentado por Cassina Projects, e Nicolás Grospierre, por Alarcón Criado.

A ARCOlisboa 2019 também incorpora uma secção especial dedicada às publicações de arte contemporânea, organizada pela Arts Libris, que contará com a participação de cerca de 50 editoriais de arte, e incluirá igualmente um ciclo de conferências e debates centrados no estado atual das publicações de arte.

Esta edição, além da Câmara Municipal de Lisboa, conta com a colaboração institucional do Governo português, da Direção-Geral das Artes, da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, da Câmara de Lisboa, da Marinha, do Turismo de Portugal e do Turismo de Lisboa.

A ARCOlisboa 2019 terá novos horários de abertura: na quinta-feira, 16 de maio, e na sexta-feira, 17 de maio, a feira estará aberta das 14:00 às 21:00; no sábado, 18 de maio, das 12:00 às 21:00; e, no domingo, 19 de maio, das 12:00 às 18:00, com entrada a 15 euros e, para estudantes, a cinco euros.