Festival de fotografia Encontros da Imagem 2018 terá mais de 40 exposições

Festival de fotografia Encontros da Imagem 2018 terá mais de 40 exposições
Lusa

A 28.ª edição dos Encontros da Imagem (EI), em Braga, que tem como tema "O Belo e a Consolação", terá mais de 40 exposições, dois prémios de fotografia, um "vocacionado para livros", contando 160 mil euros de orçamento.

Apresentado hoje, o programa dos EI, que decorrem de 21 de setembro a 28 de outubro, conta com exposições em 17 espaços de Braga, Porto, Barcelos e Guimarães, 'workshoops', conferências, um serviço educativo e um concerto do britânico Pete Kember, em colaboração única com o artista visual Sérgio Couto, que apresentará ainda uma instalação a partir do arquivo digital do festival.

"'O Belo e Consolação' é um tema muito problemático. O que é o Belo e o que é consolação? Mas, sobretudo, para nós, foi a pensar que a arte é talvez uma forma de encontrar o belo e encontrar uma consolação", explicou o diretor do festival, Carlos Fontes, em declarações aos jornalistas, no final da referida apresentação.

Segundo explicou o responsável, "partindo disso", o objetivo é "encontrar, em algumas exposições e artistas, nas suas várias formas de expressão, o belo e a consolação".

Os EI 2018 têm um orçamento de 160 mil euros (30 mil a cargo da Câmara Municipal de Braga, 15 mil de mecenas e 40 mil candidatados ao apoio da Direção-Geral de Artes), mas o autarca de Braga, Ricardo Rio, defendeu que o evento devia ter mais apoios estatais.

Para o presidente da autarquia de Braga, Ricardo Rio, os EI "já são uma marca cultural" da cidade, reclamando o autarca mais reconhecimento para o evento.

"Ao longo dos anos, os EI foram levando a sua marca a outros pontos do mundo e, pela sua qualidade, pela excelência da programação, é um evento com crédito já reconhecido no contexto internacional, e só por isso já devia ter outro tipo de reconhecimento pelas instituições, devia ter um apoio muito importante do Estado Central", defendeu o autarca.

Quanto aos EI, o evento tem três "momentos altos": a atribuição dos prémios Discovery Awards, a do Prémio Internacional de Fotografia Emergentes 2018 e um 'call books', para uma exposição de livros de autor.

Sobre o Discovery Awards a organização revelou que foram recebidas 288 candidaturas oriundas de 43 países, tendo sido selecionados 16 finalistas pelo júri internacional, composto por Mónica Allende (curadora independente, curadora do festival Getxophoto), Carlos Lobo (fotógrafo e professor), Pauliana Valente Pimentel (fotógrafa e professora), Vitor Nieves (curador do festival Outono Fotográfico e do Prémio Galicia de Fotografía Contemporánea) e Carlos Fontes (diretor dos Encontros da Imagem).

Aos cinco mil euros do prémio de Fotografia Emergentes 2018 concorreram 118 candidatos, tendo sido selecionados 42 trabalhos. O vencedor será escolhido por uma "leitura critica de Portfolios", que "resulta da oportunidade dada aos fotógrafos de apresentarem presencialmente o seu trabalho a um júri internacional alargado, composto por comissários, galeristas e editores especializados".

Para a exposição de livros de autor foram selecionadas 35 obras, que estarão expostas no Edifício do Castelo, no centro de Braga, durante toda a edição do festival.