Endividamento do setor não financeiro recua para 716,1 mil ME no final de 2018 - BdP

Endividamento do setor não financeiro recua para 716,1 mil ME no final de 2018 - BdP
Lusa

O endividamento do setor não financeiro diminuiu no final de 2018 para 716,1 mil milhões de euros, menos 0,7 mil milhões de euros face ao final de 2017, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Do endividamento de 716,1 mil milhões de euros do setor não financeiro (setor público e privado, excluindo empresas financeiras, como bancos) no final do ano passado, 317,0 mil milhões de euros eram referentes ao setor público e 399,1 mil milhões de euros ao setor privado.

Relativamente ao final de 2017, o endividamento do setor não financeiro diminuiu 0,7 mil milhões de euros, uma redução que "resultou do incremento de 4,8 mil milhões de euros no endividamento do setor público e do decréscimo de 5,5 mil milhões de euros no endividamento do setor privado", segundo o BdP.

A instituição liderada por Carlos Costa refere que a subida do endividamento do setor público "refletiu-se no aumento do financiamento concedido pelo setor financeiro, pelas próprias administrações e pelos particulares" e foi "parcialmente compensado pela diminuição do financiamento concedido pelo exterior e pelas empresas".

Já no setor privado, o endividamento das empresas diminuiu em 6,2 mil milhões de euros, tendo-se este decréscimo traduzido "sobretudo na redução do endividamento face às empresas, ao setor financeiro e aos particulares, parcialmente compensado pelo aumento do financiamento externo".

Por sua vez, o endividamento dos particulares aumentou 0,7 mil milhões de euros, destacando o BdP "o incremento do endividamento externo, fruto de operações de cessão de crédito por parte de instituições financeiras residentes a entidades não residentes".