Encontrados dois corpos no petroleiro em chamas há uma semana ao largo da China

Encontrados dois corpos no petroleiro em chamas há uma semana ao largo da China
Lusa

Pequim 13 jan (Lusa) -- As equipas de emergência resgataram hoje dois corpos que faziam parte do grupo dos 31 marinheiros desaparecidos após um acidente com um petroleiro iraniano que está a arder há uma semana.

Em comunicado, o Ministério dos Transportes da China disse que os cadáveres foram encontrados às 08:40 (00:40 em Portugal)numa zona do convés do navio Sanchi que não está a ser afetada pelas chamas e à qual foi possível aceder devido à mudança do vento, que afastou o fumo tóxico, permitindo o acesso das equipas de salvamento.

As equipas também tentaram chegar a zonas interiores do navio mas as altas temperaturas não o permitiram.

A China conta com o apoio de unidades japonesas, sul-coreanas e iranianas nas operações de resgate dos 31 marinheiros desaparecidos, 29 iranianos e dois bengalis, após a colisão.

O petroleiro iraniano Sanchi, com 136 mil toneladas de petróleo condensado (um hidrocarboneto ultra-leve usado para produzir gasolina, diesel, jetfuel e combustível de aquecimento) a bordo, pegou fogo a 06 de janeiro depois de ter colidido com um cargueiro chinês (com bandeira de Hong-Kong). O acidente aconteceu 300 quilómetros a Leste (ao largo) da cidade chinesa de Xangai.

Na sexta-feira a Guarda Costeira do Japão informou que o navio chegou à zona económica exclusiva japonesa na quarta-feira e que um dia depois estava a cerca de 300 quilómetros a noroeste das ilhas Amami, empurrado por ventos fortes.

Inicialmente havia 32 tripulantes desaparecidos mas entretanto foi resgatado um corpo, identificado como um dos iranianos da tripulação.