Dois produtos de medicina tradicional chinesa registados este mês em Moçambique

Dois produtos de medicina tradicional chinesa registados este mês em Moçambique
Lusa

Dois produtos de medicina tradicional chinesa, um dos quais comercializado em Macau há cerca de 30 anos, foram registados este mês em Moçambique, foi hoje anunciado.

Os dois produtos, de duas empresas chinesas, uma das quais de Macau, foram selecionados tendo em conta as necessidades do mercado e os fatores de eficácia e segurança, no âmbito da cooperação entre o Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa para a Cooperação Guangdong-Macau, situado na ilha da Montanha (Hengqin), adjacente ao território, e o Ministério da Saúde de Moçambique, de acordo com um comunicado.

Para a conclusão do registo, o Parque teve de ultrapassar divergências entre legislações, realizar ajustamentos do projeto técnico e normalizar documentos, num processo que vai criar uma base para a concretização da plataforma dos serviços públicos de registo dos produtos de medicina tradicional chinesa no estrangeiro, concedida pela Administração Estatal de Medicina Tradicional Chinesa.

Desde 2015 que o Parque já realizou vários cursos de formação profissional de técnicas de medicina chinesa para médicos e fisioterapeutas do sistema de hospitais públicos moçambicano, numa estratégia de divulgação inicial da medicina para incentivar o uso dos medicamentos.

Na abertura do fórum de cooperação de Medicina Tradicional Chinesa, que decorreu na quarta e quinta-feira, em Macau, o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, considerou fundamental a certificação e regulamentação da medicina tradicional chinesa e o reforço da promoção da atividade no mundo.

Macau, como plataforma para a promoção da medicina tradicional chinesa nos países de língua portuguesa, reuniu neste fórum representantes de Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

A Organização Mundial de Saúde criou em 2015, em Macau, o centro de cooperação de medicina tradicional chinesa, uma plataforma para a região se afirmar na formação de especialistas e na cooperação internacional.

A produção de medicamentos chineses em Macau registou um crescimento pelo terceiro ano consecutivo, com receitas no valor de 48,70 milhões de patacas (cerca de cinco milhões de euros), de acordo com dados oficiais de 2016.

Na China, no ano passado, o valor da produção industrial de medicina tradicional foi de 865 mil milhões de yuan (cerca de 110 mil milhões de euros), com a sua difusão em 183 países e regiões.

Em 2016, o comité central do Partido Comunista Chinês (PCC) e o Conselho de Estado lançaram um plano estratégico de saúde de longo prazo (2016-2030), alicerçado em torno da medicina tradicional chinesa, numa estratégia que dá igual relevo ao desenvolvimento da medicina tradicional da medicina ocidental.

O Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa para a Cooperação Guangdong-Macau promove a cooperação na área com os países lusófonos, no âmbito da iniciativa "Uma Faixa, Uma Rota", lançada pelo Presidente chinês, Xi Jinping, em 2013.