Dez mortos em ataques das forças governamentais à cidade mais rebelde da Nicarágua

Dez mortos em ataques das forças governamentais à cidade mais rebelde da Nicarágua
Lusa

Pelo menos dez pessoas morreram e vinte ficaram feridas em ataques das forças governamentais da Nicarágua contra várias localidades dominadas pelos rebeldes no sul do país, afirmou hoje uma organização de direitos humanos.

Paramilitares atacaram ainda um automóvel em que seguia Abelardo Mata, um cardeal mediador entre governo e oposição que se dirigia para Masaya, uma cidade rebelde que está cercada, afirmaram responsáveis da Igreja Católica, adiantando que o religioso saiu ileso.

Seis civis e quatro polícias morreram hoje em operações da polícia e de paramilitares em Masaya, trinta quilómetros a sul da capital, Manágua, bem como em outras localidades nos arredores.

"Querem destruir Masaya, está tudo completamente cercado", disse à agência France Presse a presidente do Centro Nicaraguano para os Direitos Humanos, adiantando que se resiste com "bombas artesanais e pedras".

Masaya é a cidade mais rebelde do país e é aí o centro do movimento de protesto contra o governo, encabeçado pelos estudantes, que foi lançado a 18 de abril contra o Presidente Daniel Ortega.

No poder há onze anos, Ortega, de 72 anos, é acusado de ordenar a repressão violenta de manifestações juntamente com a sua mulher, Rosario Murillo, que é a sua vice-Presidente, num regime marcado pela corrupção e pelo nepotismo.

Os opositores acusam-no de ser um ditador e exigem-lhe que saia ou que haja eleições antecipadas.