Festa Literária de Paraty no Brasil homenageia 80 anos do cineasta Glauber Rocha

Festa Literária de Paraty no Brasil homenageia 80 anos do cineasta Glauber Rocha
Lusa

Rio de Janeiro, 02 jul 2019 (Lusa) - A 17.ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty no Brasil arranca na próxima semana e vai homenagear os 80 anos do cineasta Glauber Rocha, com a exibição do filme 'Deus e o diabo na terra do sol'.

A longa-metragem, lançada há mais de cinquenta anos por aquele que é considerado o homem do Cinema Novo brasileiro, será apresentada no segundo dia da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), no Rio de Janeiro, a 11 de julho.

'Deus e o diabo na terra do sol' narra a vida de um sertanejo (habitante do sertão nordestino brasileiro) e do seu conflito com grandes donos de terras, assim como com os caminhos que prometem levar ao céu.

"Lançado há mais de cinquenta anos, permanece como bússola do cinema e da interpretação crítica do país. Além de ser um retrato da violência e do autoritarismo característicos do Brasil, o filme investiga o cangaço (movimentos de salteadores que percorria o sertão do Nordeste brasileiro, geralmente em grupos armados, entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX) e o misticismo, guardando diversas aproximações com a obra de Euclides da Cunha, autor homenageado da Flip 2019", referiu a organização do festival.

Glauber de Andrade Rocha, falecido em 1981, completaria em março 80 anos. Apesar de ter morrido com apenas 42 anos, o cineasta brasileiro, que foi também ator, deixou um forte legado cinematográfico, vinculado também a Portugal, onde esteve exilado.

Não só filmou o 25 de Abril a quente, através do documentário coletivo 'As Armas e o Povo', como mais tarde se fixou em Sintra, de onde onde só saiu nos últimos dias de vida, para regressar ao Brasil.

Além da sessão de cinema em homenagem ao brasileiro, o Flip programou ainda uma performance da cantora, compositora e cineasta Ava Rocha, filha de Glauber Rocha.

"Além dos laços de sangue, Ava Rocha recebeu, deglutiu e transformou a influência artística do pai e, bebendo também em outras fontes, faz um trabalho poderoso como compositora e cantora, totalmente conectada com seu tempo. Além disso, contribuiu com as montagens de 'Os sertões', que evocavam o olhar de Glauber Rocha sobre o Brasil --- olhar que permanece vivo", afirmou, em comunicado, a curadora da 17.ª edição do Flip, Fernanda Diamant.

A edição deste ano da Festa Literária Internacional de Paraty decorre de 10 a 14 de julho naquela cidade brasileira do Estado do Rio de Janeiro, a meio caminho de São Paulo, e terá como principal homenageado o escritor brasileiro Euclides da Cunha (1866-1909), sociólogo e autor de "Os Sertões", que foi correspondente de O Estado de São Paulo (1896-1897).

Dessa forma, toda a programação do Flip 2019 foi desenhada em função da relação entre Euclides da Cunha, outras linguagens e o território brasileiro, explicou a curadora do festival, Fernanda Diamant.

A escritora, psicóloga, teórica e artista interdisciplinar portuguesa Grada Kilomba e o realizador lusitano Miguel Gomes são também presença confirmada na 17ª edição deste festival, que tem o seu início agendado para a próxima semana.