Alfândega da Fé recebe polo da Bienal de Cerveira

Alfândega da Fé recebe polo da Bienal de Cerveira
Lusa

A vila transmontana de Alfândega da Fé é neste verão um dos polos expositivos da Bienal Internacional de Arte de Cerveira com a mostra "XX Artistas na Casa", de 12 de agosto a 23 de setembro.

A bienal assinala 40 anos e volta a alargar o seu âmbito expositivo, escolhendo Alfândega da Fé, no distrito de Bragança, para uma das mostras patente na Casa da Cultura Mestre José Rodrigues, como divulgou o município.

Foram as raízes alfandeguenses de José Rodrigues, um dos fundadores da bienal de arte, que fizeram a ligação desta vila transmontana à vila minhota de Vila Nova de Cerveira, segundo a autarquia local.

A 20.ª edição da Bienal de Cerveira abre ao público a 10 de agosto com uma homenagem ao pintor surrealista Cruzeiro Seixas e, em paralelo, a apresentação das realizações artísticas e tendências estéticas mais recentes.

No dia seguinte, será inaugurada uma extensão na vila de Alfândega da Fé, "que acolhe artistas e amigos do Mestre, com o objetivo de criar sinergias entre o livro de artista, o desenho, a pintura, a fotografia e a escultura, em aço inoxidável, cerâmica e bronze", de acordo com a informação divulgada.

A mostra conta com a participação dos artistas Acácio de Carvalho, Artur Moreira, Cabral Pinto, Ção Pestana, Cristina Valadas, Deolinda Rodrigues, Fernanda Araújo, Graça Martins, Henrique Silva, Isabel Cabral, Isabel De Sá, José Emídio, M. Sousa Pereira, Margarida Leão, Roberto Merino, Rodrigo Cabral, Rosa Ramos, Rui Anahory, Susana Bravo e Zulmiro de Carvalho.

Com curadoria de Ágata Rodrigues e Ana Duque, a Casa da Cultura Mestre José Rodrigues será o palco desta parceria que reúne a Fundação Bienal de Arte de Cerveira, o Município de Alfândega da Fé, o Município de Vila Nova de Cerveira e a Fundação Escultor José Rodrigues.

Mantendo-se estruturada segundo o modelo que a caracterizou ao longo de um percurso iniciado em 1978, a XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira apresentará ainda projetos curatoriais, artistas convidados, representações de 22 instituições de ensino superior nacionais e estrangeiras, performances, residências artísticas, oficinas, ateliês infantis, conferências e debates, visitas guiadas e espetáculos.

Cruzeiro Seixas, um dos máximos expoentes do surrealismo português, é o artista homenageado e será apresentada uma retrospetiva da sua obra plástica e poética, propondo-se ao público uma nova reflexão sobre o movimento artístico.