"O Governo fez asneira, como sempre aconteceu com o desporto nesta pandemia"

"O Governo fez asneira, como sempre aconteceu com o desporto nesta pandemia"
Redação

José Manuel Ribeiro, Luís Freitas Lobo e João Ricardo Pateiro comentam a decisão de não haver público nos estádios na última jornada da Liga NOS, ao contrário do previsto, a festa de campeão do Sporting, o dérbi entre leões e águias, o segundo lugar do FC Porto e ainda as contas da Europa e permanência no campeonato.

Confira algumas frases fortes deste programa:

"Não fazia sentido nenhum haver público apenas na última jornada"

"A ideia de haver público nas duas últimas jornadas faria algum sentido. A preocupação seria com a venda dos lugares anuais e havia a intenção de sossegar os adeptos em relação à próxima época. Depois meteu-se a Liga dos Campeões, meteu-se o Governo e, como sempre, tal como sempre aconteceu com o desporto nesta pandemia, fez asneira"

"Rúben Amorim disse que não liga a recordes? Essa é a pior justificação possível, não faz sentido. Se ele acha que está a jogar em nome próprio, está na profissão errada. É impossível ser-se treinador de um clube histórico e não se prestar atenção aos recordes, às marcas históricas... Era muito importante para o Sporting ter uma época invicta, como têm os outros. Não se pode desvalorizar"

"A explicação da Câmara Municipal de Lisboa para o autocarro nos festejos é absurda. Disseram que com o autocarro iam espalhar os adeptos pelas ruas. Não é isso que acontece. Não houve a sensibilização e preparação necessárias"

"Os festejos eram inevitáveis. Mas incentivar isso, com ecrãs gigantes, com o desfile dos jogadores no autocarro..."

"Dos quatro anos de Sérgio Conceição no FC Porto, este foi o mais intenso para o treinador"